O caso do bebê que havia caído pra fora do carro e morrido instantaneamente, no dia 29 de outubro, chocou as pessoas da região onde o fato aconteceu, no sul da Bahia. Na tarde desta quarta-feira (9) os #pais do menino foram presos preventivamente, por pelo menos 30 dias, para facilitar as investigações, segundo a polícia, na cidade de Itamaraju. De acordo com relatos dos pais, na época do acidente, o bebê teria caído do carro em movimento. Todavia o delegado que investiga o caso, Julio César Telles, diz que essa versão do casal apresenta contradições com os fatos e a suspeita é de que a criança tenha sido vítima de agressão. Foi descoberto que a criança já teria sido vítima de agressão antes de morrer, há três meses, quando ela tinha acabado de completar sete meses de vida, em São Félix do Coribe, no oeste da Bahia.

Publicidade
Publicidade

A polícia informou que os pais da criança foram transferidos para Teixeira de Freitas, mas ainda não foram ouvidos novamente porque o plano da equipe de investigação é fazer a reconstrução do caso para posteriormente poderem confrontar os pais com base no que terão em mãos. Telles também indaga sobre a maneira como eles descreveram o estado do veículo no momento do acidente, afirmando que há muitas controvérsias.

A perita responsável pelo caso foi ouvida e relatou que, no corpo da criança, existiam marcas que levam a indícios de agressão, não de queda. Telles conta que a respeito da agressão anterior sofrida pelo bebê, ficou sabendo do fato só depois que os policiais de São Félix do Coribe entraram em contato com ele e informaram tudo, posteriormente à morte. O sabido é que, no dia 28 de agosto, quando a criança tinha acabado de completar sete meses, ela teria sido agredida pelo pai.

Publicidade

Porém a mãe foi ouvida e falou uma versão totalmente diferente, relatando que não sabia o que tinha acontecido com o filho. Depois ela voltou na delegacia e mudou toda a história, dizendo que o marido havia mesmo agredido o bebê dela.

O depoimento dos pais sobre a morte do filho é de que estavam viajando e o menino se encontrava na cadeirinha, no banco de trás do carro, sem cinto de segurança. Por conta dos percalços e pedregulhos do asfalto, a porta do carro acabou se abrindo e foi neste momento que o bebê teria sido arremessado para o lado de fora, recebendo socorro e sido encaminhado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Prado, mas já chegou morto no hospital.

#Tragédia #Casos de polícia