Uma das figuras fortes do #Crime organizado de Salvador, na Bahia, é carta fora do baralho, literalmente.

Ricardo Rodrigues de Souza, 29 anos, conhecido como “Bucha de Sena”, foi baleado e morto durante um confronto com agentes policiais neste sábado (10). O criminoso integrava o ‘Baralho do Crime’, projeto que consiste em um catálogo para a divulgação dos homens mais procurados no Estado, cujos dados e fotos são dispostos em cartas de um baralho. Nestas cartas, Ricardo, ou ‘Bucha de Sena’ era o ‘Ás de Ouros’.

Ele tinha peso no mundo do tráfico e era considerado o chefe nos bairros e comunidades de Iapi, Santa Mônica, Curuzu, San Martin e Liberdade.

Publicidade
Publicidade

A Justiça tinha lhe concedido um habeas corpus, mas ele continuou na vida bandida como chefe, sendo morto em uma abordagem que se desdobrou para troca de tiros com policiais do 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM).

O confronto ocorreu na comunidade do Cariri, próximo à região de Santa Mônica.

Em entrevista concedida à imprensa local, o sargento Brito, do Pelotão Emprego Tático Operacional (Peto) da 37ª CIPM, explicou como tudo aconteceu. Ele conta que equipes do Pelotão faziam patrulhamento na área, quando viraram alvos de tiros disparados por bandidos do tráfico. No grupo estava Ricardo, que foi alvejado, socorrido e encaminhado para o Hospital Ernesto Simões, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo depois.

‘Bucha de Sena’ era apontado como líder nas regiões de Santa Mônica e Liberdade e antes de sua primeira prisão tinha alcançado o topo da lista dos mais procurados no Estado da Bahia.

Publicidade

Ele chegou a ser acusado de ter 30 homicídios nas costas. Sua última prisão foi há três meses, por portar maconha. Dois meses depois ele foi solto e voltou a operar ativamente no crime.

Com a morte do chefe, outros traficantes locais por ele liderados ameaçaram tocar o terror, com incêndio a ônibus. As promessas não foram concretizadas, pois a polícia reforçou o patrulhamento com equipes de outras companhias e com operações intensivas de armas e materiais ilícitos. O balanço de itens apreendidos ainda não foi divulgado.

#Casos de polícia