Na noite do último sábado (03), o dançarino Marcelo Tosta, de 37 anos, foi morto em uma casa de Forró, no bairro Patamares, em Salvador. A casa noturna conhecida como Coliseu do Forró recebia na noite do #Crime, a banda A Vigarista que estava no palco no momento do ocorrido.

Alguns espectadores assistiam ao espetáculo do conjunto musical quando disparos foram ouvidos dentro do espaço. Houve muita gritaria e desespero, pois os convidados não sabiam exatamente o que estava acontecendo, algumas pessoas chegaram a filmar o momento dos disparos. Ao que parece o crime foi motivado por uma discussão dentro do local de entretenimento.

Publicidade
Publicidade

Um guarda municipal, de 30 anos, juntamente com um amigo que também assistiam ao show, se desentenderam com o dançarino e uma briga se iniciou ainda durante a madrugada, por volta das 3h da manhã. No momento da confusão os três teriam trocado socos e pontapés até que supostamente o guarda teria atirado à queima roupa contra o dançarino.

Assista às cenas do tumulto no vídeo a seguir:

A polícia da delegacia de homicídios compareceu ao local e realizou o serviço de perícia para averiguar as circunstâncias do homicídio. No local foi apreendida uma arma de calibre 380 que era de uso pessoal do guarda municipal, o principal suspeito do crime. Marcelo morreu ainda no local e o suspeito foi levado ao Hospital Geral do Estado ficando internado até a tarde ontem.

Ele foi detido e levado à delegacia para prestar depoimento.

Publicidade

Segundo os investigadores, o homem se contradisse inúmeras vezes ao longo do relato. Inicialmente ele contou à polícia que não tinha se envolvido em uma briga com a vítima, mas depois voltou atrás no relato. Na confusão o guarda acabou levando um tiro no joelho e por isso precisou ser atendido. A polícia Técnica do estado realizará um exame para verificar se o suspeito tem resquícios de pólvora ou se usou a arma recentemente.

No momento do ocorrido, a cantora Tays Reis vocalista da banda de forró estava no palco e foi retirada às pressas. Segundo testemunhas ninguém sabia de onde os disparos estavam vindo e houve muita confusão. A banda é responsável pelo sucesso ‘Metralhadora’, e cantava na noite do crime. Ao que tudo indica os disparos aconteceram perto da orla, já na praia onde a casa de espetáculos tinha continuidade. O corpo do dançarino foi velado neste domingo (04), sob a comoção de amigos e familiares. #Violência #Casos de polícia