O calendário dos festejos populares na Bahia no ano de 2017 se iniciou nesta quinta-feira, dia 12 de janeiro, com a tradicional #Lavagem do Bonfim, comemorando 263 anos de tradição, apresentando uma inovação, pela primeira vez, a imagem do Senhor do Bonfim abriu o cortejo na Basílica da Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Comércio, e foi conduzida pelos fiéis num andor em procissão até a Igreja do Senhor do Bonfim.

Este evento é símbolo máximo do #sincretismo religioso na Bahia, pois une o culto ecumênico da Igreja Católica com os rituais das religiões de matriz africana, exemplo de tolerância religiosa para todo o mundo, pois apesar de possuírem preceitos religiosos totalmente diferentes, convivem em harmonia no trajeto de 8 km para a Colina Sagrada no Bonfim.

Publicidade
Publicidade

A caminhada congregou fiéis do Senhor do Bonfim (para os católicos) e Oxalá (para os candomblecistas e umbandistas). Autoridades políticas, como o governador da Bahia e o prefeito de Salvador, lideranças de diversos partidos políticos, representantes das Forças Armadas, da Polícia Militar da Bahia, do Corpo de Bombeiros, da Assembléia Legislativa Estadual, do Poder Judiciário, do Ministério Publico, da Ordem dos Advogados do Brasil, de sindicatos trabalhistas, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), entidades culturais, entre elas os tradicionais blocos Filhos de Gandhy, Ilê Ayê e Muzenza, associações como Legião da Boa Vontade (LBV), grupos de defesa da igualdade de gênero, a exemplo do Grupo Gay da Bahia (GGB), bandas musicais, de fanfarras, afoxé, samba, turistas, pessoas de todas raças e classes sociais, em total de aproximadamente um milhão de transeuntes rumo a Colina Sagrada.

Publicidade

Exatamente ao meio-dia, o cortejo das baianas, todas vestidas de branco, carregando os jarros com água de cheiro, receberam as vassouras entregues pelos membros da Irmandade Devoção do Senhor do Bonfim e fizeram a lavagem das escadarias da Igreja do Senhor do Bonfim, finalizando a parte sagrada das festividades.

Durante a tarde do dia 12 de janeiro, começou o lado profano, com diversas festividades gratuitas nas ruas da Cidade Baixa e Calçada e com shows pagos de estrelas do axé music baiano, Bell Marques e Durval Lélis no Terminal Náutico da Bahia, situado na Avenida Contorno e a Enxaguada do Bonfim de Carlinhos Brown no Museu Du Ritmo, na Avenida Jequitaia.

A festa popular, com seu lado sacro e profano, terminou na noite, celebrando a riqueza cultural, a miscigenação racial, a tolerância religiosa e a alegria de viver do povo baiano.