Está marcado para ocorrer nessa sexta-feira (9) o protesto em São Paulo contra o aumento das tarifas de ônibus, que passará de R$ 3,00 para R$ 3,50. O ato está sendo organizado pelo Movimento Passe Livre (MPL). A polícia militar de São Paulo já está se organizando e montando um esquema de segurança, no qual farão cordões de isolamento para que o manifesto ocorra de forma pacífica. Durante todo o protesto, qualquer pessoa que passar pelo local onde estará acontecendo a concentração ou que vier a entrar no isolamento policial será revistada.

Depois de anunciado que o MPL faria um ato público contra o aumento das tarifas, o governo de São Paulo anunciou nessa quinta-feira (8) que daria direito a 50 viagens gratuitas nos transportes de trem e metrô, na companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Publicidade
Publicidade

A proposta de gratuidade em trens do estado de São Paulo foi uma proposta da gestão do governador Geraldo Alckmin. Logo após teve anunciado a proposta para a utilização dos ônibus da capital paulista, anunciada pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. A proposta ainda não está valendo, já que precisa ser aprovada pelos deputados estaduais que estão em recesso e retornam as atividades apenas em fevereiro. Com isso, estudantes terão que aguardar para que a tarifa zero seja realmente implantada.

Coincidentemente, as aulas retornarão no mesmo dia da volta dos deputados estaduais às suas atividades rotineiras, dia 2 de fevereiro, quando a votação poderá ser realizada e subsequente, colocada em prática (É o que se espera!). Mas nem todos terão passe livre em trens e metrôs, apenas estudantes de escolas públicas, da Etec e da Fatec poderão utilizar o benefício, além de estudantes de escolas e universidades privadas que possuam financiamento público ou que tenham bolsa de estudo.

Publicidade

Estudantes de Universidades públicas também poderão aderir ao "passe livre", contanto que a renda familiar per capita seja de até um salário mínimo, ou seja, não ultrapasse R$ 1182,00, e que seja comprovado por meio de uma declaração a renda para a utilização do transporte. Na utilização de ônibus, o "passe livre" será de 48 viagens gratuitas mensais.