Muitas vezes, estamos atrasados para o trabalho, transportando pessoas doentes, ou mesmo estressados com o trânsito que não anda. Tudo isso contribui para a nossa falta de atenção em observar a sinalização do trânsito e também a velocidade em que se locomove, etc... No entanto, equipamentos de aferição e guardas de trânsito nunca foram tão numerosos quanto nos dias atuais. Com isso ocorrem muitas situações em que os condutores, em situações de pura infelicidade sofrem penalidades injustamente. Muitos destes, não chegam a recorrer, por falta de tempo, pela burocracia e também pela incredulidade em reverter a situação.

Com isso os orgãos responsáveis pela gerência deste setor se sentem cada vez mais à vontade em continuar investindo em pessoal e equipamentos, uma vez que se constatou a mina de ouro que é o negócio.

Publicidade
Publicidade

Infelizmente não existe um orgão que regularize e fiscalize os governos, quanto à aplicação abusiva destas penalidades, talvez o motivo de existirem tantas falhas, equipamentos mal instalados, situações absurdas, onde o maior prejudicado é a população.

No Brasil, o problema é cultural e cultura se muda com campanhas eficazes e muita educação. Estas punições exageradas punem uma maioria de cidadãos do bem que sofrem para pagar os impostos comuns que já são muitos e não surtem efeito para casos mais graves, citando como exemplo os indivíduos que dirigem bêbados e causam acidentes, feridos e mortos. Nesses casos, a eminência de  ser multado não contribui nenhum pouco para que sejam evitados tais fatos.

É comum ouvirmos a frase: 'Visite "Nome da Cidade" e ganhe uma multa'. Na minha opinião falta legislação que padronize e regularize as instalações dos equipamentos.

Publicidade

A sinalização é precária em meio à poluição visual das grandes cidades, e por mais que a sinalização seja regulamentada por órgãos federais, alguns aspectos mudam de cidade para cidade. Então é comum os condutores sofrerem penalizações ao visitarem um lugar que não conhecem.

Algumas vias também propiciam o condutor a cometer irregularidades, vista o grau de complexidade em pegar as entradas e saídas corretas para que se possa chegar ao destino correto. Um exemplo disto é a marginal do Tietê, que canaliza todo o tráfego da Rodovia Airton Senna para a pista expressa. Quem precisa chegar à rodoviária do Tietê, precisa pegar umas duas ou três saídas à direita.

Vias com limite de velocidades diferentes ao longo do percurso, também funcionam como pegadinha para que o condutor cometa infrações.

Um pais só é civilizado quando se educa, se há punição é por que não houve educação. Indústria da multa, sim. Concordo que há muitos abusos e muitos irresponsáveis no trânsito, mas 21 pontos na carteira é muito pouco para tantos radares e marronzinhos. 

Muitos cidadãos de bem, pais de família que necessitam do automóvel no seu dia dia, seja para trabalhar ou levar as crianças para a escola, estão tendo o direito de dirigir suspensos em função do descaso do Estado, que faz valer a lei, mas não dá condições ideais para que os condutores as cumpram.

Publicidade

#Manifestação