Em São Paulo, ter o aparelho #Celular roubado ou furtado agora vai ter suas vantagens. É que a Polícia Civil é quem vai realizar o bloqueio da linha junto à operadora no momento em que a vítima registrar o boletim de ocorrência. Hoje esse bloqueio é solicitado pelo próprio usuário.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o objetivo é impedir o uso dos aparelhos surrupiados. Apesar de parecer cômodo, a medida tem um pré-requisito importante, e que vai requerer a atenção de quem quer deixar esse "trabalho" para os agentes da lei.

Para que a polícia possa realizar o bloqueio da linha telefônica junto à operadora, o dono terá que informar o IMEI, que é o número de identificação internacional de aparelhos móveis.

Publicidade
Publicidade

Como se fosse um RG do aparelho, com o qual a empresa poderá efetuar o bloqueio do dispositivo móvel.

O número fica disponível na caixa do telefone, na maioria das vezes. Mais do que nunca, é muito importante ter este número anotado e bem guardado, não só para o caso de furto ou roubo, mas também para a garantia do usuário da operadora.

Outra forma de conseguir o número é solicitando através do próprio aparelho. É só teclar #06# e a tela indicará o IMEI. Ainda assim é recomendável que se anote esse número.

Pelos cálculos da Polícia Civil paulista, o número de roubos a aparelhos celulares no Estado aumentou 149,59%.

As estatísticas refletem que a quantidade de furtos e roubos é bastante expressiva, e por isso mesmo, chama a atenção de todos (inclusive de ladrões e assaltantes).

Publicidade

Com dispositivos cada vez mais modernos (e caros), eles são atraídos pela imensa gama de dispositivos nas ruas, nas mãos e ouvidos de inocentes "vítimas potenciais". Os poderosos smartphones estão no topo da lista de preferência dos bandidos. #Violência

A maneira displicente com que as pessoas utilizam os aparelhos celulares nas ruas também é apontada pela polícia como fator preponderante para o aumento do número de casos de roubos e furtos. Portanto, como dizia minha avó, prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém.