O #Celular ultrapassou itens importantes como RG, cartões de banco e dinheiro, e se tornou de longe o item mais roubado em São Paulo. De acordo com dados revelados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2014, foram roubados pelo menos 166.978 telefones celulares na cidade.


O número com certeza é maior, pois nem todas as pessoas que têm seus celulares roubados ou furtados dão queixa em uma delegacia de polícia ou no registro on-line da Polícia Civil. Em uma conta simples, esse número oficial representa que 457 celulares foram roubados por dia na cidade de São Paulo, ou 19 telefones por hora.


Atrás dos mais de 160 mil celulares estão os RGs, com 107.105 casos. Completam a lista dos dez itens mais roubados outros itens (como correntes, por exemplo), com 90.284; Real (cédulas e moedas), com 64.845; cartão bancário, com 63.107; CNH, com 51.330; outros documentos, com 50.594; CIC/CPF, com 50.563; cartão de crédito, com 34.428; e carteira de plano de saúde, com 31.995.


A principal justificativa para o aumento sem precedentes no número de celulares roubados é o valor agregado do pequeno aparelho e a sua fácil revenda. Hoje em dia, no Brasil, aparelhos como o novíssimo Iphone 6 chegam a custar mais de R$ 2.500 nas lojas oficiais. O comércio paralelo, no entanto, cobra até menos da metade deste valor para revender um celular roubado.


De acordo com a polícia paulista, grupos como as gangues de bicicletas enxergam no celular o principal alvo. Outra situação que fez o aumento de celulares disparar foi a venda de peças. Assim como acontece com os carros e motos populares, que são roubados e desmanchados para ter suas peças vendidas, a ação também chegou aos telefones móveis.


Concentração de roubos


A Zona Oeste da capital paulista é o local que concentra a maior quantidade de crimes do tipo. Em 2014, foram 31.465 telefones levados na área de atuação da 3ª Delegacia Seccional Oeste. Este dado representa 86 aparelhos levados por dia.


A Copa do Mundo de 2014 foi um evento que impulsionou o roubo de celulares. Como a maioria dos turistas e até mesmos paulistanos se concentravam na região da Vila Madalena, na Zona Oeste, os roubos no bairro aumentaram bastante. Para efeito de comparação, em 2013, a Seccional do Centro foi quem mais registrou roubos de celulares, com 29.591 casos.
#Crime