Depois dos últimos anos, o Museu da Imagem e do Som (MIS) se tornou referência entre as exposições de São Paulo e sinônimo de longas filas. As megaexposições de Stanley Kubrick, David Bowie e Castelo Rá-Tim-Bum, que saiu de cartaz em janeiro de 2015, foram vistas por milhares de pessoas. Agora, o MIS se prepara para mais três grandes exposições para os próximos anos.

Confira abaixo os detalhes conhecidos até agora sobre cada uma. 

François Truffaut

A partir de julho desse ano, o MIS receberá uma exposição especial sobre o cineasta francês François Truffaut. A exposição homenageará toda a carreira do artista, mais conhecido pelos filmes "Os Incompreendidos" (1959) e "Jules e Jim: Uma Mulher Para Dois" (1962).

Publicidade
Publicidade

A exposição está atualmente em Paris, na Cinemateca Francesa, e São Paulo será a segunda cidade do mundo a recebê-la. A curadoria é de Serge Toubiana, diretor geral da Cinemateca Francesa. Assim como aconteceu na exposição de Stanley Kubrick, também haverá uma expografia especial. A exposição traz objetos, livros, fotos, desenhos, fotos, figurinos, trechos de filmes, entrevistas e roteiros com anotações. Também deve acontecer uma mostra paralela com os principais filmes do diretor.

Tim Burton

Ainda não há data marcada, mas o MIS irá receber entre janeiro e abril de 2016 uma megaexposição dedicada à Tim Burton, e o cineasta vai ao museu na abertura da exposição. A exposição é original do renomado MoMA, de Nova York, e será trazida ao Brasil com alguns trechos inéditos. Ela será montada com muitos objetos de cenas, documentos, fotografias e vídeos.

Publicidade

O diretor do museu adianta que ela será muito cenográfica. Ou seja, o objetivo será fazer o visitante se sentir dentro de um filme de Tim Burton. Oportunidade perfeita para ver de perto e sentir na pele os universos de "O Estranho Mundo de Jack", "Edward, Mãos de Tesoura", "Sweeney Todd", "A Noiva Cadáver", entre outros filmes. #Entretenimento

Renato Russo

A exposição sobre uma das mais icônicas figuras do rock nacional está prevista para 2017, ainda sem previsão de mês. O museu deve trazer diversas relíquias guardadas no apartamento do eterno vocalista da Legião Urbana. No local, há mais de cinquenta diários que nunca se tornaram públicos, além de sua coleção de livros e discos.