Em audiência pública na última terça-feira, 23, a Prefeitura de São Paulo anunciou o lançamento do edital para licitação do sistema de ônibus municipais. O regulamento será aberto entre abril e maio deste ano e tem como missão principal reorganizar em 100% a distribuição de ônibus na capital paulista.


Todos os empresários que aceitarem concorrer à licitação devem se preparar para mudanças em relação ao sistema atual de ônibus. As principais alterações na comparação com o atual modelo serão a implantação de quatro tipos de linhas e que será possível que até a administração de terminais de ônibus recaia sob às companhias de ônibus. Além disso, a taxa de retorno dos empresários será menor.


O plano foi apresentado pelo Secretário Municipal dos Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, três meses após a auditoria realizada pela Ernst Young. A consultoria apontou falhas no processo atual de ônibus, no modelo de concessão e deixou claro que o transporte pode, sim, ser mais eficiente.


A licitação também será aberta para empresas de fora do Brasil. Tatto também destacou que o novo contrato será de 20 anos, diferente dos atuais dez anos. De acordo com a SPTrans - São Paulo Transporte, a nova proposta vai atender melhor os cerca de 10 milhões de passageiros que os ônibus paulistanos transportam diariamente.


Modelos de Linhas

Com o novo modelo, São Paulo oferecerá quatro tipos de ônibus a seus passageiros:


1 - Linha Local de Distribuição: são as linhas que atenderão as ruas menores dentro dos bairros. Elas poderão ter traçado bidirecional (ônibus que saem e voltam para o terminal) ou circular. Neste tipo de veículo, o objetivo será locomover os passageiros que querem sair de um bairro e ir a outro sem ter que passar pelo centro.


2 - Linhas Estruturais Radiais: são as linhas que percorrerão os corredores de ônibus/faixas exclusivas. Elas devem atender grande demanda, em traçado simples, e interligar regiões de São Paulo. Os veículos terão que ser de maior capacidade nesta categoria.


3 - Linhas Estruturais Perimetrais: são as linhas que utilizarão as avenidas, com faixas exclusivas ou não. Estes ônibus devem fazer as articulações entre regiões, ligação com corredores radiais e ligação entre centralidades urbanas.


4 - Linhas de Articulação: são as linhas que andarão nas ruas largas de articulação locais. O objetivo destes trajetos será auxiliar o passageiro que tem dificuldade para se deslocar a pé entre um ponto de parada ou outro. As linhas serão feitas por veículo de capacidade menor, terão intervalos maiores e devem atender médias ou baixas demandas.