Nessa quinta feira (5), o ex-senador Eduardo Suplicy surpreendeu a todos ao pegar trem e metrô lotados em direção à USP Leste. Para quem não sabe muito sobre política, sobre as rodas do high society ou sobre Racionais, Suplicy foi senador pelo estado de São Paulo por 24 anos, pertence a uma das famílias mais tradicionais do Brasil (os Matarrazo) e é um dos mais notáveis fãs da banda de rap.

No ano passado, disputando a reeleição para o Senado, ele perdeu a vaga para José Serra. Muita gente ficou com medo que o papito (outro fato de sua biografia é que ele é pai do roqueiro Supla) abandonasse a carreira política, afinal ele sempre foi referência de ética e trabalho.

Publicidade
Publicidade

Mas, ao que parece, Suplicy está mais ativo do que nunca.

Após perder a eleição, ele se dedicou à campanha de Dilma em São Paulo. Após a vitória da presidenta, chegou a ser cotado para algum ministério, mas a proposta não evoluiu. Nesse período, já havia anunciado o convite para ministrar aulas de políticas públicas na USP Leste em 2015. Enquanto isso, seguia com suas atividades de senador (os mandatos acabam no fim de janeiro).

Foi então que o prefeito de São Paulo Fernando Haddad convidou-o para ser secretário de Direitos Humanos da Prefeitura. Suplicy não apenas aceitou, como recentemente gerou outra (boa) polêmica ao abrir mão do salário de secretário (em torno de 20 mil reais) com a justificativa de que receberia aposentadoria do Senado.

E ontem, para marcar mais um ponto em sua lista de bons exemplos, o agora professor Eduardo Suplicy seguiu para sua primeira aula na USP Leste de trem e metrô.

Publicidade

Alguns certamente vão tratar o ocorrido como demagogia, afinal a condição financeira dele permite que ele vá até de helicóptero, mas há algo de mais importante em sua atitude do que propriamente o transporte utilizado.

Suplicy de trem e metrô chama atenção para o que deveria ser óbvio: políticos são seres humanos. E com isso, educa também a população, provocando debates sobre a mobilidade urbana, sobre a importância do transporte coletivo e sobre a ostentação de certos luxos tão em alta hoje em dia.

E pelo visto o povo está aprovando. Sua publicação no Facebook sobre a viagem até a USP já acumula quase 100 mil curtidas. Uma das internautas comentou: "A estupidez tirou esse homem do Senado. Lamentável!", mais de 2 mil pessoas curtiram. Ou internautas dizendo que sonham com Suplicy como prefeito. Uma suposta aluna afirmou: "Tê-lo como professor agora só comprova tudo o que pensava a respeito de seu caráter", e entre várias manifestações, uma palavra é a mais citada: mito. Na gíria popular, Suplicy mitou!

E não foi a primeira vez que ele chamou atenção.

Publicidade

Quem não lembra de seus gritos de "pá pá pá" ao recitar Racionais no Senado para tratar do extermínio da juventude negra? Do dueto que ele fez em 2012 com Tiririca? Ou então no dia em que, ao ter a carteira e o celular furtados no viradão cultural de 2013, ele subiu ao palco e fez um apelo para que pelo menos seus documentos sejam devolvidos?

Enquanto muitos, como diz o ditado, comem peixe e arrotam caviar, Suplicy faz o caminho inverso. Tinha tudo para ser mais um milionário excêntrico, mas decidiu se tornar nosso homem das multidões.