Tudo indicava que o incêndio não passaria de hoje (6), já que o fogo no começo da tarde já estava bem menor, porém de noite as chamas voltaram a crescer, surpreendendo até mesmo o Corpo de Bombeiros que teve que, mais uma vez, mudar de estratégia.

Para ajudar no combate ao incêndio, 4 toneladas de produtos químicos chegaram a cidade, esses produtos são específicos para eliminação de incêndios. O Cold Fire, produto importado pela empresa dona dos tanques atingidos pelo fogo a Ultracargo, é um pó químico seco que foi mandado pela Infraero.

O Cold Fire é uma espuma similar a que já vem sendo usada pelo Corpo de Bombeiros, porém mais eficaz, afirma Daniel Onias, comandante da Defesa Civil de Santos.

Publicidade
Publicidade

O pó químico enviado pela Infraero do Governo Federal é parecido com o pó existente nos extintores. Esse produto chegou num caminhão capaz de lança-lo às chamas a dezenas de metros de distância do fogo.

Esse já é o quinto dia de incêndio que mesmo com a forte chuva na cidade não cessa. No total foram 6 tanques da empresa Ultracargo incendiados, no momento 2 deles ainda permanecem em chamas. Muitas empresas estão sendo prejudicadas pelo grande incêndio já que a Ultracargo fica num local onde existem mais 45 empresas, a interdição de trechos do canal do porto impede a recepção de navios e caminhões.

O valor do prejuízo ainda não foi informado à imprensa, mas 6 navios não puderam atracar e cerca de 7 mil contêineres não foram embarcados e desembarcados. Para as transportadoras o prejuízo é imenso, pois o trânsito de caminhões foi vetado no porto até sexta-feira (10).

Publicidade

Motoristas dos caminhões reclamam da decisão tomada, pois terão que voltar e isso implica pagar novamente pedágio sem ao menos entregar a carga.

Com esse reforço vindo de Brasília continuará o trabalho dos bombeiros para o fim desse incêndio que dura desde quinta (2), mas com equipamento e produtos mais eficazes. A população se mostra cada vez mais preocupada com os danos que esse acidente poderá causar, muitas pessoas já sofrem com problemas respiratórios causados pela fumaça preta e fuligem. Sem contar nos peixes que aparecem mortos nas redondezas do incêndio.