O incêndio em Santos já dura 5 dias e não há previsão para o total controle da situação. Por causa da gravidade, caminhões são vetados no Porto de Santos até sexta-feira (10). A decisão tomada pelo gabinete de crise vale somente para a margem direita, a esquerda opera normalmente. Mais de 10.000 caminhões circulam diariamente pela margem direita do porto, pois há 46 dos 55 terminais no local (informação da CODESP).

O incêndio que começou na manhã desta quinta-feira (2) é crescente e os bombeiros trabalham incessantemente para que as chamas não se alastrem ainda mais. A grande preocupação dos bombeiros era os tanques que continham produtos tóxicos, mas esses foram transferidos e estão fora do alcance das chamas.

Publicidade
Publicidade

Sendo assim, agora o trabalho se concentra em apagar o fogo.

As consequências causadas pela liberação intensa de fumaça preta, são pessoas com problemas respiratórios e irritação nos olhos. A fuligem também é encontrada nos quintais e carros da população. Até a manhã deste sábado (4) eram quatro tanques pegando fogo. Segundo bombeiros, no início da tarde, mais dois tanques foram atingidos, somando oito no total. A população está cada dia mais apavorada. As principais dúvidas são em relação aos malefícios da fumaça preta e aos riscos da chuva tóxica. Até o momento, a prefeitura de Santos informou à imprensa que não é necessário pânico e que os locais de maiores riscos já foram evacuados.

A ação dos bombeiros foi eficaz e nesta segunda-feira, 6, apenas 2 tanques permanecem incendiados.

Publicidade

Muitos homens trabalharam no local 24 horas. Em entrevista, um deles disse não conseguir abandonar a situação. Dezenas de peixes mortos foram encontrados no cais da Alemoa, próximo à empresa atingida pelo incêndio. Em entrevista, a secretária do Meio Ambiente, Patrícia Iglecias, disse que uma análise está sendo feita para afirmar a relação com o incêndio, mas fez alerta para que a população não coma esses peixes.

Com relação à fumaça, a Secretária disse que toda fumaça é tóxica, mas que estão monitorando a periculosidade e que, caso a situação se agrave, todos serão informados. Muitas notícias falsas são lançadas nas redes sociais, então, é muito importante verificar a seriedade da informação. Nas proximidades do local do incêndio, onde estão trabalhando os bombeiros, os repórteres possuem permissão para permanecer apenas por alguns minutos para garantir a segurança.

A prefeitura de Santos pediu ajuda ao governo federal para combater as chamas do incêndio.