Porto e estradas paradas por 9 dias, danos econômicos, impacto ambiental, peixes mortos, água contaminada e 8 bilhões de litros de água usadas, esse foi o saldo do incêndio que atingiu a empresa Ultracargo, zona industrial de Santos.

O incêndio, que começou no dia 02 de abril, chega ao fim após 9 dias, totalizando 192 horas. O Corpo de Bombeiros, em coletiva à imprensa, revelou que o fogo foi extinto mas que ainda há vazamentos, e por isso, os 140 bombeiros do Estados continuarão a monitorar os tanques.

Durante todos os dias que durou o incêndio, os navios foram impedidos de atracar no porto de Alemoa, Santos, por recomendação dos bombeiros.

Publicidade
Publicidade

As estradas também foram fechadas e caminhões com mantimentos que tinham como destino o porto de Santos foram impedidos de passar, os caminhoneiros foram aconselhados a retornar, mas preferiram ficar parados na estrada esperando o momento em que as estradas fossem abertas, estima-se que por cada dia parados, houve um prejuízo de 2,5 milhões de reais.

As estradas foram reabertas na manhã de sábado (11), quando o Corpo de Bombeiros liberou uma faixa da estrada principal que leva ao porto de Alemoa, Santos; a Rua Augusto Barata. Espera-se que até domingo, as demais faixas da estrada sejam liberadas.

Danos Econômicos

Estima-se que foram perdidas mais de 20 milhões de reais durante os 9 dias que as estradas ficaram fechadas para os caminhões. Segundo o Sindicato das Agências de Navegação Marítimas - Sindamar, estima-se a perda de mais de 6 milhões de dólares com atrasos e cancelamento de navios.

Publicidade

Impactos Ambientais

Já foi comprovado que houve contaminação da água em rios próximos ao incêndio e o resultado disso foram os peixes mortos, encontrados ao longo do ocorrido. O IBAMA e a Cetesp - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo começaram a apuração da dimensão dos danos ambientais e de quanto foi a responsabilidade da empresa no Incêndio, para assim, a Ultracargo ser devidamente processada.

Combate ao Incêndio

Os bombeiros usaram a água do mar, cerca de 8 bilhões de litros, mas tiveram dificuldades em apagar o incêndio devido as altas temperaturas, que chegaram a marca de 800 graus Celsius, por isso, utilizaram um produto vindo dos Estados Unidos, o cold fire, que serve como um isolante térmico e ajuda a aumentar a absorção da água, facilitando os trabalhos para a extinção do incêndio.