Após quase um mês de crescimento contínuo, o nível do Sistema Cantareira, que abastece 5,6 milhões de paulistanos, permaneceu estável nesta sexta-feira (3). O manancial havia registrado alta nos últimos 27 dias. A Sabesp informou que o nível verificado no sistema hoje era de 19,2% da capacidade do reservatório, mesmo valor registrado na última quinta-feira (2).

Esse valor tem como base um cálculo que leva em consideração a quantidade total de água registrada em determinado dia e a capacidade total de armazenamento do sistema, que inclui as duas cotas do volume morto (reservada capitada com o auxílio de bombas, por encontrar-se no fundo da represa).

Publicidade
Publicidade

Já os demais reservatórios que abastecem o estado registraram queda, com exceção do Guarapiranga, que abastece cerca de 5,2 milhões de pessoas. O sistema permaneceu estável, mantendo-se em 84,9%. O Alto Tietê, no entanto, teve queda de 0,1%, chegando a 22,5%. O valor inclui o volume morto da represa.

O Alto da Cotia registrou diminuição de 0,2% de sua capacidade, passando de 65% para 64,8%, enquanto o sistema Rio Grande chegou a 96,6%, queda de 0,4% em relação ao dia anterior. O último sistema, o Rio Claro, também registrou queda de 0,1%.

#Crise

O Estado de São Paulo passa pela crise hídrica mais grave de toda sua história. Há alguns meses, o reservatório Cantareira, até então principal abastecedor do Estado, chegou a apresentar apenas 3,5% de água armazenada. Com chuvas acima da média histórica, registradas no mês de março, o sistema chegou a 19,2% de sua capacidade, mas a situação ainda é bastante crítica.

Publicidade

Moradores têm reclamado que, em bairros mais afetados pela crise, chegam a ficar dias sem receber água em suas casas. Em outros lugares, a água chega barrosa e com poucas condições de uso. O governo do Estado, no entanto, nega em decretar racionamento, apesar de ele já ser realidade para algumas famílias paulistanas.

Apesar das melhoras registradas nos volumes dos reservatórios, a situação permanece crítica para pelo menos dois deles: o Cantareira e o Alto Tietê. #Natureza