A Cetesp - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, com sua equipe técnica da companhia ambiental, vem acompanhando desde a quinta-feira (02), início do incêndio, a situação da cidade de Santos. Até a sexta-feira (03) não havia registro de contaminação relevante na água do estuário, porém, na manhã de sábado (04) a equipe já vem fazendo vistorias nas águas. A poluição no ar também está sendo monitorada, principalmente em relação à fumaça, um medidor de partículas foi instalado próximo à região do incêndio para a sua mediação.

A Prefeitura de Cubatão, região bem próxima a Santos, juntamente com a Cetesb e OAB de Cubatão realizaram uma vistoria na orla da Avenida Beira Mar e encontraram peixes mortos, que podem estar relacionados ao incêndio no parque industrial de Alemoa - Santos.

Publicidade
Publicidade

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, desde a manhã do sábado (04/04) estão coletando peixes mortos no rio Cubatão e no estuário para identificar as possíveis causas da mortandade. A equipe ambiental também está definindo os pontos para a coleta das amostras de água, para serem analisadas em laboratórios.

O site da prefeitura de Cubatão pede para que os moradores não comam os peixes e não bebam a água do rio até a Companhia Ambiental tiver concluído as investigações sobre essa situação. O site do Folha de São Paulo revelou que a empresa Ultracargo divulgará uma nota de esclarecimento no domingo (05/04).

Medidas punitivas para a empresa só poderão acontecer após o combate do incêndio, das investigações pela causa do acidente e de uma avaliação dos possíveis danos causados pela empresa, para então, a Cetesb emitir uma penalidade à empresa, com base na legislação ambiental.

Publicidade

A secretária estadual do Meio Ambiente, Patrícia Iglecias, é que comandando as vistorias. Ela falou à imprensa e ressaltou que Não é possível estabelecer a dimensão do impacto ambiental causado pelo incêndio até o presente momento, e de que é necessário esperar as investigações de todos os órgãos competentes.

Patrícia Iglecias faz parte do Gabinete de Crise, instalado em Santos nesse sábado (04) pelo governo do Estado de São Paulo.