Na última sexta-feira (7) uma quadrilha que seguia na rodovia 338, interceptou e roubou um carro forte, que saia da cidade de Mococa. Depois de efetuar o assalto e trocar tiros com os seguranças do carro forte, os bandidos fugiram deixando um segurança morto, e até o momento não se sabe se tem mais pessoas feridas. O #Crime aconteceu na SP 338 entre Mococa (SP) e Cajurú (SP).

Após o ocorrido os bandidos se depararam com um comboio na rodovia (333) que levavam presos para a comarca de Mococa, para audiência. Assustados, começaram um tiroteio com os policiais que estavam fazendo a escolta, a quadrilha conseguiu que 37 presos fugissem pelo matagal, as margens da rodovia Abraão Assed SP (333), que liga Casa Branca (SP) a Cruz Azul (SP), quatro dos presos não compactuaram com essa ação, ficando no local do confronto.

Publicidade
Publicidade

Os demais presos estão sendo procurados pela polícia por terra, e com a ajuda de helicóptero Águia da polícia. A região é de difícil acesso, pois existem muitos canaviais além da mata fechada e rodovias na região. A polícia informou que até o momento 20 detentos já foram recapturados.

A investigação está a cargo da delegacia de policia de Mococa, com o Dr. Wanderley F. Martins está a frente do caso. A secretaria de segurança publica de São Paulo (SSP), está enviando uma equipe de investigação para auxiliar o delegado de Mococa. A polícia suspeita que essa quadrilha é a mesma que frequentemente ataca carros fortes em São Paulo.

Vamos aguardar maiores investigações, contando sempre com a competência da polícia militar e polícia civil para guardar novamente os meliantes que ainda estão foragidos e amedrontando a população local.

Publicidade

Novas informações Polícia Militar, nesta segunda-feira (10), afirmaram que os bandidos conseguiram levar R$ 1.000.000, e que já foram recapturados 10 detentos. Hoje pela manhã vigilantes fizeram manifestação, em frente a empresa Protege pedindo armas mais potentes e dispositivos mais avançados.

Leia mais notícias:

Assalto frustado em Piracicaba 

Facção criminosa de São Paulo fatura mais de 15 milhões de reais por mês #Ataque #Casos de polícia