Nesta quinta-feira, 08, profissionais da mídia cobriam um protesto realizado por taxistas em São Paulo. Os motoristas reclamavam da chamada nova categoria criada pela prefeitura, os "táxis pretos". O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e os vereadores do município não enquadram o Uber no novo sistema. De acordo com informações da Folha de São Paulo, a manifestação começou no início da tarde tranquila, sem maiores incidentes. 

No entanto, quando viram equipes de televisão, rádio e jornais no local, alguns manifestantes começaram a ficar exaltados. A maior parte das represálias aconteceu com uma equipe da Rede Globo de Televisão, que fazia uma reportagem para os telejornais do canal.

Publicidade
Publicidade

Os ânimos foram a cada minuto ficando ainda mais tensos, até que um cinegrafista da Globo acabou levando um soco no rosto e depois uma rasteira. A agressão aconteceu bem em frente a um dos pontos mais conhecidos de São Paulo, a prefeitura da cidade.

Um vídeo na internet mostra ainda taxistas cercando os profissionais da mídia. Eles também agrediram com xingamentos os trabalhadores do canal. No entanto, não foram só os repórteres os atingidos pelo protesto. Os manifestantes também impediram a entrada de outras pessoas dentro da prefeitura. Muitas estavam indo ao local para resolverem problemas pessoais, sem nem saberem da existência da manifestação. 

Os "táxis pretos" são aqueles que vão funcionar por meio de aplicativos. No texto da prefeitura, dá a entender que o Uber também faz parte desse novo sistema.

Publicidade

No entanto, de acordo com os representantes do aplicativo, o Uber não é um serviço de táxi, mas sim de tecnologia e, portanto, não se adequaria à nova lei. 

Para dirigir os novos "táxis pretos", os motoristas vão precisar de uma licença da prefeitura. O serviço também custará em média 25% mais caro do que o táxis normais. A decisão do governo  paulista foi muito criticada nas redes sociais. Boa parte dos internautas disse que o prefeito da cidade não quis atender os interesses do povo, mas apenas os dos taxistas. #Crime