Se os direitos humanos não estão sendo cumpridos é certo que o mundo nunca mudará. Os cidadãos não se esquecem de fazer os seus deveres, porém, quando chega o momento de ver seus direitos, se frustram por não conseguir o retorno.

Nesta terça-feira (13), foi divulgado um relatório feito pelas ONGs: 'Aliança Pela Água', 'Coletivo de Luta Pela Água', Greenpeace e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), no qual revelam vestígios de violação de direitos humanos na área hídrica do estado de São Paulo.

Crise no governo da Dilma

A declaração foi enviada à relatoria da Organização das Nações Unidas a fim de buscar os Diretos Humanos à água e ao saneamento básico.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o documento, ocorreu uma falta de nitidez no momento de informar sobre os cortes de água, ausência de planejamento, exploração exagerada dos mananciais, atenuação de investimento no tratamento de esgoto e intensificação sem motivos da tarifa. O relatório diz que a capital paulista careceu e ainda carece de um plano de emergência, pois não existe projeto destinado à hospitais, colégios, e para órgãos públicos em motivo de carência de água e de ampliamento da #Crise.

A Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do estado relata que o documento é um relatório parcial, sem respaldo técnico e que denuncia de maneira equivocada apenas um ente da federação de uma situação que afetou todo o país.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, a pior seca dos últimos 85 anos não foi revelada por nenhum instituto de meteorologia como a Nasa e que o ano de 2014 foi o que mais possuiu temperaturas altas no planeta.

Publicidade

A união de ausência de chuvas com temperatura muito quente causou a situação de emergência em mais de 24% dos municípios do Brasil (1.320), em 12 estados por conta da seca e estiagem.

Dilma enfrenta crise

A Secretaria declara que os tais críticos e ONGs não alcançam a mudança por conta da força da população para com os incentivos econômicos e os meios dignos, tais como as obras emergenciais produzidas em tempo curto pelo Governo do Estado que estão certificando o abastecimento de mais de 20 milhões de pessoas na Região Metropolitana de São Paulo. #Corrupção #Blasting News Brasil