Fernando Haddad está acumulando rejeição desde o início de seu ingresso como prefeito de São Paulo. A pesquisa feita pela Datafolha mostra os números. Apenas 15% aprovam a administração de Haddad, enquanto 34% julgam como regular, e 49% reprovam a atual administração da cidade.

A pesquisa é feita para avaliar a aceitação das decisões do prefeito e medir a aceitação dos paulistanos. O prefeito que teve maior rejeição nessas pesquisas foi Celso Pita, que chegou a acumular uma taxa de rejeição de até 81% dos entrevistados, quando deixou o cargo no ano 2000.

As principais causas para o aumento da rejeição de Haddad são decisões que causaram polêmica entre os moradores da maior capital brasileira.

Publicidade
Publicidade

A última medida polêmica que causou a divisão de opiniões foi a de fechar a Av. Paulista nos finais de semana para o lazer público. Para esta decisão, a pesquisa Datafolha obteve um resultado bastante dividido também, onde 47% são a favor do fechamento, 43% são contra o fechamento, 7% declararam indiferença e 3% ainda não sabem.

Outra decisão polêmica foi a redução de velocidade nas principais vias de São Paulo, onde os carros podiam circular a uma velocidade máxima de 60km por hora, agora, a velocidade máxima ficou estipulada em 50km por hora, o que causou grandes discussões em uma cidade onde o trânsito é caótico e os congestionamentos batem recorde dia após dia.

Para este caso de redução de velocidade, a pesquisa Datafolha revelou que os comentários favoráveis a redução de velocidade, somados, chegam a 47%. Ainda tem a questão das ciclo faixas, que também dividiu opiniões, ficando 56% dos entrevistados a favor das ciclo faixas, enquanto 39% são absolutamente contra.

Publicidade

Haddad deu início a sua gestão no ano de 2013, e hoje tem a sua pior avaliação segundo as pesquisas Datafolha, que foram publicadas nesta segunda-feira, 2.

Analisando um contexto geral, o Brasil está com uma rejeição aos gestores públicos ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT), que pode ser resultado de diversos escândalos nas esferas superiores do poder público por ter integrantes do partido associados aos casos de corrupção. Estes são fatores que podem ter influenciado os resultados da pesquisa, visto que a divisão de opiniões é bem estreita. #Eleições #Reforma política #Blasting News Brasil