O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), não suportou mais os protestos dos estudantes e comunicou que a reorganização escolar estava suspensa. O anúncio foi feito no início da tarde desta sexta-feira (4) e comemorado pelos milhares de estudantes que há dias tomam conta de muitas escolas por toda a cidade.

Foi durante uma coletiva no Palácio dos Bandeirantes que Alckmin comunicou a boa notícia, mas pelo visto o projeto não foi totalmente descartado, já que o governador informou que em 2016 voltará ao assunto trazendo novos debates para que uma solução seja encontrada.

"Alunos continuam nas escolas onde estudam", comunicou #Geraldo Alckmin, que ainda disse respeitar os protestos e os pedidos dos estudantes e todos os seus familiares.

Publicidade
Publicidade

O governador de São Paulo deixou claro que a reorganização escolar está adiada e que voltará a ser debatida no ano que vem, porém será rediscutido escola por escola.

Em setembro, as medidas adotadas pelo governador foi de que houvessem escolas de ciclo único, só que os alunos não concordaram e os protestos logo tomaram conta de várias unidades e dezenas de escolas foram ocupadas. Pais e vizinhos destes estabelecimentos forneciam alimento e material de limpeza e higiene para os alunos que ficaram dias seguidos dentro das escolas.

Geraldo Alckmin aceitou voltar atrás em sua decisão um dia depois que o Ministério Público e também a Defensoria de São Paulo entraram na Justiça com uma ação civil pública para interromper a reorganização escolar.A ação pedia ainda que a Secretaria de #Educação promovesse debates com os estudantes, pais, professores e todos os envolvidas para encontrarem juntos uma solução que atendesse a todos.

Publicidade

Na manhã desta sexta-feira, novo protesto dos estudantes foi registrado e desta vez eles fecharam as avenidas Faria Lima com Rebouças, além da avenida Paulista na altura da rua Consolação. A Polícia Militar agiu com violência, mais uma vez, usando inclusive bombas de efeito moral.

Márcio França (PSB) também se posicionou a favor da suspensão da reorganização escolar. #Manifestação