Na tarde desta quarta-feira (16), um grupo com mais de 100 pessoas portadores de câncer e seus familiares, que estavam participando da audiência publica na qual foram convidados, tomaram o plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo exigindo que o governador do estado, Geraldo Alckimin (PSDB), liberasse a entrega da fosfoetanolamina sintética para todos os pacientes.

Uma comissão formada por três pacientes, juntos com o promotor de justiça Fernando Capez e o procurador do estado, foram ao Fórum de São Paulo tentar conseguir essa liberação. Segundo informações, a comissão não teve êxito nessa caminhada. O governador não voltou atrás na sua decisão de suspender as liminares que beneficiavam os portadores de câncer com a fosfoetanolamina sintética.

Publicidade
Publicidade

Nesse momento, todos os pacientes que se encontram no auditório da Assembleia Legislativa estão passando frio, pois dizem que o ar condicionado está ligado no máximo e não estão podendo receber nenhum agasalho, além de estarem proibidos de receber comida e seus respectivos remédios. 

Através das redes sociais, os manifestantes estão o tempo todo pedindo socorro e dizendo que até agora eles não conseguiram comer, estão passando fome e frio. Até o momento, o governador Geraldo Alckimin não se manifestou a respeito do ocorrido,

Apelo vindo de dentro da Assembléia Legislativa de São Paulo.

"Pessoal, boa noite, quem fala é Reginaldo, estou aqui na Assembleia Legislativa de São Paulo, juntamente com 50 pacientes oncológicos. Teve uma audiência pública sobre a fosfoetanolamina sintética junto com os pesquisadores e  nós viemos para a Assembleia Legislativa.

Publicidade

Passamos o dia aqui interrompemos a votação da lei orçamentária 2016 de São Paulo, nós vamos ter que passar a noite aqui de hoje. As portas estão trancadas, a gente não pode sair para ir no banheiro e não pode entrar com alimento para ninguém, nós estamos necessitando de ajuda máxima de todos os amigos nos meios de comunicação do Brasil inteiro. Estou precisando da ajuda de vocês todos, aqui dentro nós estamos compartilhando informações do Facebook e nas mídias sociais. Preciso do apoio de vocês. É muito grave a situação aqui. Obrigado." #Manifestação #Geraldo Alckmin