Os servidores públicos de São Vicente, em São Paulo, já pela quarta vez consecutiva no ano, ficaram sem os pagamentos de salário, que foram novamente escalonados, mas agora, em uma data ainda mais extensa do que a do mês passado. O pagamento referente ao mês de outubro deveria ter sido feito aos servidores no último dia útil do mês (30), porém, foram determinadas novas datas por categorias, com início no dia 30 de outubro e o final até o dia 10 de novembro.

A #Greve realizada pelos servidores públicos da cidade tinha como finalidade protestar contra o escalonamento dos pagamentos e só parar quando o último servidor fosse pago. Os servidores já tinham data marcada para novas assembleias, tendo como pauta o receio de novos escalonamentos e atrasos de benefícios.

Publicidade
Publicidade

Contudo, neste mês de novembro a história se repetiu. Os servidores já não receberam a cesta básica, e as férias que estão sendo pagas (quase 2 meses depois do retorno dos servidores ao trabalho), ainda estão sendo parceladas em quatro vezes.

O novo escalonamento tem data maior do que a do mês passado. Desta vez, tem início no dia 30 de novembro e término no dia 15 de dezembro. Os servidores receberão apenas o salário referente ao mês de novembro e a cesta básica referente ao mês de outubro.

Com a data tão longa para efetuar os pagamentos, os servidores estão se tornando devedores, devido a programação contar com salários no último dia útil de cada mês e juros de contas em atrasos. Além disso, eles estão sofrendo com a incerteza de receber o seu 13° ainda este ano, já que a primeira parcela deveria ter sido paga no último dia de novembro (30).

Publicidade

Por conta disso, espera-se que o salário seja pago integralmente até o dia 20 de dezembro.

A greve afeta também os habitantes da cidade, pois estão em funcionamento apenas serviços essenciais (urgências e emergências) funcionando apenas com 30% do efetivo.

O Sindicato dos Servidores de São Vicente organizará hoje (02/12/2015) uma manifestação em forma de 'apitaço', em frente ao paço Municipal, às 9 horas, reivindicando seus direitos. #Manifestação #Hospital