O conhecido Museu da Língua Portuguesa em São Paulo está em situação calamitosa. 37 carros do corpo de bombeiros se deslocam para o local na tentativa de controlar as chamas que tomam conta do prédio desde o início da tarde. Devido as fortes chuvas que caem hoje na cidade, bombeiros estão tendo que se dividir entre os chamados de emergência devido a chuva e ao incêndio que tentam controlar.

Infelizmente, um bombeiro a serviço no local do incêndio veio a óbito após ser socorrido desmaiado devido aspiração da fumaça tóxica liberada na tragédia, que ainda não foi controlada. O militar recebeu os primeiros socorros e foi levado ao hospital, mas não resistiu.

Publicidade
Publicidade

Três andares do Museu da Língua Portuguesa estão sofrendo com o incêndio e 97 bombeiros tentam controlar as chamas. Devido a essa tragédia, a estação de metrô da Luz encontra-se fechada. Marcos Palumbo, Coronel que está à frente da missão de resolver a situação, informou que o incêndio se originou no primeiro andar e foi passando de um para o outro, até tomar os três andares do Museu.

Segundo o Coronel, o trabalho está sendo dificultado devido aos materiais presentes no local, a estrutura do mesmo é de madeira, tendo ainda muitas partes em plástico e borracha. "Isso faz com que o fogo se alastre rapidamente", afirmou.

O Museu da Língua Portuguesa foi inaugurado em 2006 e nos primeiros três anos de funcionamento recebeu mais de 1,6 milhão de visitantes, tamanho a sua importância, fama e destaque para a população de São Paulo.

Publicidade

Isa Ferraz, curadora do museu, definiu o incêndio como uma "verdadeira tragédia", disse ainda que o museu mudou paradigmas e que virou uma referência e atração também para turistas internacionais, além da população paulista. Isa afirmou que o museu possuía um painel de 33 metros de comprimento, que contava a origem da #História da língua portuguesa.

Até o momento não se sabe o que ocasionou o incêndio.

O que você acha que causou esse incêndio: Falta de meios de combate a princípio de incêndios, negligência ou crime? Deixe sua opinião. #Arte