Após um incêndio que destruiu totalmente o edifício da Estação da Luz, uma empresa de engenharia foi contratada para realizar obras de urgência para que os trens da CPTM, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, possam voltar a circular a partir de segunda-feira (28).

A empresa foi contratada pela Organização Social IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, que gerencia o Museu da Língua Portuguesa. A empresa Contrajeto realizará as obras depois de uma análise  feita pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas(IPT). Os danos causados pelo #Incêndio que destruiu completamente o museu foram realizado pelo Instituto de Pesquisas tecnológicas a pedido da Companhia  Paulista de Trens Metropolitanos(CPTM).

Publicidade
Publicidade

Com a intensidade do fogo,uma viga metálica que fica no interior da Estação distendeu-se, forçando uma parede. A finalidade dessa obra é fortalecer justamente essa parede que dá para  a plataforma de trens, que está rachada e pode cair sobre a estação. Para forçar a segurança do prédio, vão ser estendidos de um lado para o outro cabos de aço e a viga será sustentada.

As porções do telhado que era de madeira e foram queimadas serão removidas com ajuda de um guindaste.

Só após a realização das obras emergenciais  e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas averiguar novamente o edifício é que se saberá quando os trens voltarão a circular. Se a avaliação for positiva, serão abertas três de quatro vias e as linhas 7-rubi e 11-coral serão normalizadas, sendo que a linha 11-coral, por haver uma via a menos, o embarque e desembarque seria feito em uma só plataforma e isso aumentaria o período de circulação.

Publicidade

O Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araújo, afirma que os órgãos de prevenção municipal, estadual e federal consentiram a realização das obras.

A situação de quem necessita dos trens que passam por essa linha

Quem  utiliza  os serviços de trens da CPTM tem sua viagem encerrada um ponto antes, por motivo da Estação da Luz está interditada para  a Companhia de Trens Metropolitanos. Já os usuários da linha 7-rubi, que utilizam os trens de Francisco Morato e Jundiaí ficam na estação Palmeiras-Barra Funda, podendo assim fazer a integração com a linha 3-vermelha do metrô.

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos afirma que as atividades do metrô é o bastante para atender  as necessidades de deslocamento.