Nas três primeiras semanas de 2016, ano que ainda terá pela frente as eleições municipais, a cidade de São Bernardo do Campo, localizada na região metropolitana de São Paulo, já vivenciou episódios suficientes para alimentar as conversas entre os moradores até dezembro. 

Na primeira semana de janeiro, a Cetesb classificou a Prainha do Riacho Grande como imprópria para banho. A água do local, que recebe milhares de turistas todo final de semana, contém bactérias nocivas à saúde. 

Na mesma semana, a cidade foi surpreendida com o fechamento do histórico restaurante São Judas Tadeu, da família Demarchi. Fundado em 1949, o empreendimento não resistiu aos tempos atuais e o prédio foi vendido.

Publicidade
Publicidade

Especula-se que a rádio Nativa FM e o Grupo Bandeirantes sejam os compradores.

A tarifa de ônibus das linhas municipais pulou de R$ 3,50 para R$ 3,80. Mesmo com alguns protestos, a Prefeitura e a SBCTrans não demonstraram intenções de baixar o valor. 

Após mais de duas décadas de operação, a Bacardi anunciou o fechamento da fábrica de São Bernardo, transferindo sua produção para o Nordeste. De acordo com a empresa, os altos custos de logística influenciaram na decisão. 

A chuva forte castigou a cidade no dia 9 de janeiro. Em vários locais, a água acumulada cobriu as ruas e calçadas. Na internet, a população questionava a eficácia do projeto Drenar, prometido como solução definitiva contra as enchentes. 

No dia 12 de janeiro, a Volkswagen suspendeu o contrato de 1.200 funcionários. A empresa afirma que não terá como garantir os empregos se as vendas não subirem novamente.

Publicidade

O Museu do Trabalho e dos Trabalhadores foi alvo de reportagem da TV Globo que mostrou o abandono da obra e os problemas de saúde pública gerados pelo lixo acumulado no local. Pressionada, a Prefeitura garantiu que concluirá a construção até o final do ano.

O guarda civil municipal Ricardo Amadeu foi morto a tiros no bairro do Sacomã, em São Paulo. O vídeo com disparos percorreu a internet. O caso segue em investigação. 

Nos últimos dias, a Polícia Federal confirmou as suspeitas envolvendo a chamada "máfia da merenda". São Bernardo do Campo está na lista das cidades vítimas do esquema. Resta saber se há ou não envolvimento de autoridades municipais. #Negócios #Casos de polícia