O município de São Bernardo do Campo, localizado na região do Grande ABC, sofreu com a forte chuva que caiu no início da noite deste sábado (9). Alagamentos foram registrados em diversos bairros. 

Apontado como a obra que resolveria em definitivo o problema de enchentes que há décadas castiga principalmente a região central da cidade, e orçado inicialmente em R$ 600 milhões com dinheiro fornecido pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o projeto Drenar foi alvo de inúmeras críticas por parte da população através das redes sociais.

O projeto é também a aposta política do atual prefeito, Luiz Marinho (PT), que escolheu o secretário de Serviços Urbanos, Tarcisio Secoli, como seu candidato para as eleições municipais de 2016. 

O trânsito e o comércio foram os primeiros prejudicados pelo início das obras do Drenar.

Publicidade
Publicidade

Em 2015, os comerciantes da Rua Jurubatuba, conhecida pelas lojas de móveis, acionaram a prefeitura, preocupados com a queda nas vendas causada pela intervenção na região central. Consumidores começaram a abrir mão de passar pelo local para evitar os congestionamentos.

Também no ano passado, a construtora OAS, responsável pelo Drenar, se viu envolvida nos escândalos da Operação Lava-Jato, e demitiu a maior parte dos trabalhadores que atuavam em São Bernardo, causando mais atrasos no planejamento. Por várias semanas, foi possível atestar que, em trechos de vias como a Faria Lima, não havia ninguém da empresa trabalhando.

Nas redes sociais, vários moradores da cidade publicaram vídeos e fotos dos alagamentos. Na Rua dos Feltrins, no bairro do Demarchi, a água misturou-se com a lama e cobriu todo o asfalto e as calçadas.

Publicidade

Na Rua Marechal Deodoro, esquina com a Av. Prestes Maia, a água chegou a cobrir os pneus dos carros dos motoristas que se arriscavam a trafegar pela região (veja o vídeo abaixo). 

Internautas também relataram alagamentos e outros problemas causados pela chuva nos bairros de Riacho Grande, Assunção, Baeta Neves, Rudge Ramos, Nova Petrópolis e Ferrazópolis. 

#Chuvas Torrenciais