O setor de hospedagem do Litoral Norte de São Paulo, incluindo os quatro municípios que compõe a região, espera manter estável o índice de ocupação registrado durante as festas de fim de ano também agora durante o #Carnaval 2016.

A projeção do Sinhores (Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares) do litoral é que a taxa de leitos ocupados fique em torno de 80% nos dias de folia, que neste ano começa no dia 6 de fevereiro e termina no dia 9.  "Quando o Carnaval tem início na primeira semana de fevereiro vira uma incógnita para nós por emendar dois tipos de público: o de férias e o do feriado. Nossa expectativa é que seja bom", diz o assessor de #Turismo da entidade, José Carlos de Souza.

Publicidade
Publicidade

 

De acordo com ele, a pesquisa com base no índice de ocupação de reservas nos meios de hospedagem cadastrados aponta que o aumento na procura por hospedagem em dezembro do ano passado na região não foi tão expressivo em comparação com o mesmo período em 2014, quando a entidade registrou 75% de ocupação em hotéis e pousadas.

As quatro cidades do Litoral Norte Paulista somam 60 mil leitos divididos em 930 meios de hospedagem. Para evitar inconvenientes, a dica é fazer sua reserva com antecedência os valores não devem sofrer aumento em relação aos últimos feriados de 2015. Em média, o pacote de quatro dias para casal varia entre R$ 1 mil e R$ 8 mil. Mas existem opções para todos os bolsos. "Reservamos já para o Carnaval, mesmo sabendo que vai lotar decidimos antecipar, pois no Ano Novo foi impossível procurar em cima da hora.

Publicidade

Estava difícil andar de carro pelo bairro, fila em restaurante, na padaria quase uma hora para comprar pão", contou o designer de São Paulo, Ricardo Weber, que vai passar o feriado em Maresias com amigos. 

Obstáculos

Para quem optar pelo descanso no Carnaval curtindo o luxo em hotéis "pé na areia" pelas praias paulistas, entre os obstáculos, além das filas, que os paulistanos já estão acostumados, outro obstáculo também conhecido de quem sai da metrópole é o congestionamento. "O problema do trânsito é de gargalo, não tem como escapar. Em Caraguatatuba ainda existem atalhos, mas chegando a São Sebastião não existe muita alternativa. A única avenida é a rodovia", completa o assessor do Sinhores. 

Para Ricardo o trânsito "é um problema de espaço". "Maresias é pequena, não tem realmente muito a fazer. Ter paciência para chegar e, se possível, deixar o carro no hotel", aconselha ele, que considera que nesses dias "parecer que São Paulo se transfere para a praia".  #Entretenimento