No último dia 29 de janeiro, o Museu da TAM, anteriormente conhecido como "Museu Asas de um Sonho", localizado no município de São Carlos, no interior paulista, fechou suas portas para o público, pegando de surpresa inúmeros admiradores da aviação. 

O local, inaugurado no ano de 2010, foi a realização de um antigo desejo dos fundadores da companhia aérea que sonhavam com um espaço que preservasse e apresentasse às futuras gerações um pouco da história da aviação no país. 

Cerca de 90 aeronaves de vários tipos e modelos compõem o acervo, além de diversos equipamentos e outros itens do dia a dia, utilizados por pilotos e comissários. 

De acordo com reportagem publicada no site São Paulo Antiga, algumas raridades podem ser encontradas no local como o caça supersônico francês Dassault Mirage III, o holandês Fokker 100 e o Spitfire, famoso avião de caça inglês utilizado na Segunda Guerra Mundial.

Publicidade
Publicidade

A atual crise econômica foi apontada como um dos principais fatores para o fechamento do museu. A LATAM Airlines Group, empresa da qual a TAM faz parte e que é responsável pela manutenção, informou que o custo mensal de administração, preservação e guarda do espaço chega a mais de R$ 300 mil. 

Por diversas vezes surgiram tentativas de transferir o museu de São Carlos para outro local, incluindo a cidade de São Paulo, onde o aumento do fluxo de visitantes ajudaria a manter as atividades. 

O próprio comando da Aeronáutica apoiou a ideia e ofereceu parte do terreno do Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, para abrigar o museu, porém a Prefeitura da capital paulista não aprovou a iniciativa.

A administração municipal trava uma longa batalha na justiça para retomar a posse do local e acredita que a instalação do museu dificultará uma decisão favorável por parte de qualquer juiz.

Publicidade

Atualmente, em São Paulo, outros dois importantes museus estão fechados. O Museu do Ipiranga passa por inúmeras reformas, ainda sem previsão de conclusão. Já o Museu da Língua Portuguesa foi parcialmente destruído por um incêndio no início deste ano e também não há prazo para sua reabertura.  #Turismo