A montadora alemã Mercedes-Benz iniciou as celebrações do sexagésimo aniversário da empresa no Brasil instalando um grande número 60 no topo da sede da companhia em São Bernardo do Campo, cidade localizada na região metropolitana de SP (clique na imagem ao lado para ampliar). 

O presidente da empresa no país, Phillipp Schiemer, declarou que esse aniversário será muito especial, pois a unidade são-bernardense foi responsável pelo primeiro motor diesel e também pela fabricação dos primeiros caminhões e ônibus utilizados no Brasil. 

Apesar do cenário atual, Schiemer afirma que a Mercedes-Benz continua acreditando no mercado nacional e que manterá seus investimentos. 

O número 60, instalado ao lado do símbolo da empresa, ganhou uma iluminação especial em neon, ampliando sua visibilidade à noite.

Publicidade
Publicidade

Outras iniciativas e ações de marketing também farão alusão ao aniversário nos próximos meses. Estão programados concursos culturais, eventos e promoções. 

A unidade de São Bernardo também é a maior fora da Alemanha e reúne, em um mesmo local, a fabricação de caminhões, chassis de ônibus urbanos e rodoviários, além de itens agregados como motores, eixos, cabinas e câmbios. 

Atualmente, a Mercedes-Benz também conta com filiais em Campinas e Juiz Fora. Para breve a empresa deve inaugurar uma nova fábrica de automóveis em Iracemápolis, no interior paulista. 

Sem motivos para comemorar

Na contramão da festa de aniversário, o setor operacional da Mercedes-Bens amarga uma série de demissões e afastamentos de funcionários. No mês de janeiro, a empresa colocou centenas de operários no chamado lay-off.

Apesar das negociações com o sindicato da categoria, a direção da companhia não garante a continuidade dos empregos, pois alega que o programa de proteção ao emprego não é suficiente para mantê-los. 

O mesmo problema afeta outra montadora alemã com sede no Brasil.

Publicidade

A Volkswagen também licenciou centenas de funcionários por tempo indeterminado e aguarda o reaquecimento do mercado de venda de automóveis para definir o futuro dos colaboradores afastados.  #Negócios #Desemprego #Grande ABC