A Prefeitura de São Bernardo do Campo, cidade localizada na região metropolitana de São Paulo, anunciou o investimento de R$ 660 mil no desfile das escolas de samba da cidade. 

Após quase cancelar a festa, devido a um desentendimento com as entidades organizadoras, a administração municipal resolveu montar uma comissão especial de última hora para garantir a realização do evento. 

Do total investido, R$ 400 mil foram direcionados para infraestrutura e outros R$ 260 mil repassados para as escolas de samba, sendo a maior parte encaminhada para as integrantes do Grupo 1.  

Público superestimado

No último domingo (5), ao longo de toda a noite, oito agremiações oriundas de diversos bairros da cidade se apresentaram para um público estimado em cinco mil pessoas conforme noticiado pelos jornais ABCD Maior e Repórter Diário, e confirmado pela própria Prefeitura. 

O número é questionável e provavelmente inclui na somatória os integrantes das escolas, pois as arquibancadas, preparadas para abrigar dois mil foliões, não chegaram a lotar. 

Mesmo que esteja correto, o resultado está longe dos números obtidos por cidades como a vizinha São Caetano que chegou a reunir mais de 20 mil pessoas no Parque Chico Mendes.

Publicidade
Publicidade

Santo André, que também realizou desfiles de rua, alcançou a marca de 35 mil espectadores. 

A organização de São Bernardo não confirma, mas a expectativa era de um público maior, a julgar pelo esquema de segurança preparado, segundo a Prefeitura, com 170 guardas civis e outros 145 policiais militares, perfazendo uma média de um agente policial para cada 15 munícipes. No Brasil, a média é de um policial para cada 450 habitantes. 

Esquemas de ônibus também foram preparados para transporte durante a madrugada, mas o que se viu foram carros circulando vazios pela cidade. 

Nas redes sociais, moradores questionam o investimento em uma festa que não despertou o interesse de 1% da população do município. 

Uso político

O valor cultural do #Carnaval no Brasil é inestimável, mas a festa também é utilizada com propósitos políticos.

Publicidade

Em São Bernardo, não foi diferente. 

O prefeito Luiz Marinho não compareceu ao desfile das escolas de samba da cidade e mandou em seu lugar o secretário de obras Tarcisio Secoli, virtual candidato do PT nas eleições municipais deste ano.

O secretário de cultura, Osvaldo de Oliveira Neto, responsável direto pela organização do evento, foi mero coadjuvante na festa.  #Grande ABC