Na madrugada desta terça-feira (22), a Polícia Federal colocou em ação a 26ª fase da Operação Lava-Jato, batizada como "Xepa", que tem como alvo principal a empreiteira Odebrecht. 

Com 380 policiais em ação e mais de 110 mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal de Curitiba, conforme noticiado pela imprensa, a PF afirma ter mapeado novos pagamentos realizado pela empresa à diversas pessoas ligadas a Petrobras. Do total de mandados, Sérgio Moro, juiz que conduz os processos em primeira instância, anunciou a prisão de 15 funcionários da Odebrecht. 

Foram realizadas buscas no Rio, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Piauí, Brasília, Minas e Pernambuco. 

De acordo com os jornalistas Diogo Mainardi e Mario Sabino, responsáveis pelo portal "O Antagonista", uma das empresas que recebeu dinheiro da Odebrecht é a agência de propaganda Sotaque Brasil, cujo proprietário é Oliveiros Domingues Marques Neto, também dono da Loducca. 

Oliveiros teria forte vínculo pessoal com Luiz Marinho, atual prefeito de São Bernardo do Campo, desde o tempo que o petista era o titular do Ministério da Previdência Social (março de 2007 a junho de 2008).

Publicidade
Publicidade

À época, as agências de Oliveiros receberam mais de R$ 6 milhões do Governo Federal por um serviço de propaganda de utilidade pública, conforme registrado no Portal da Transparência. Na sequência, mais R$ 28 milhões foram pagos à Loducca por outros trabalhos realizados. Em 2009, a Sotaque Brasil venceu um processo de licitação da prefeitura são-bernardense. 

Na operação da Polícia Federal realizada nesta terça, foram encontrados dois pagamentos de R$ 500 mil recebidos pela agência, pagos pela Odebrecht, realizados em 2014, por motivos ainda não divulgados. 

Outros jornais e sites locais também apontam que a Lava-Jato está cada vez mais perto da administração de São Bernardo, devido aos contratos realizados com a OAS, outra empreiteira investigada.

Recentemente, uma interceptação telefônica revelou que prefeito soube de antemão a respeito da operação que seria realizada no apartamento do ex-presidente Lula na avenida Prestes Maia.

Publicidade

#Crise #Grande ABC