Em outubro de 2015, após a polêmica entre taxistas e motoristas do aplicativo Uber, a Prefeitura de São Paulo decidiu tomar uma posição e decretou a criação de uma nova categoria de táxis denominada Táxi Preto. A ideia era legalizar os veículos do aplicativo fornecendo autorização para uma frota composta por táxis de alto padrão, semelhantes aos carros usados na categoria premium do Uber, que só poderiam ser acionados via app. A medida foi bem recebida pelos aplicativos de táxi, como 99Taxis e Easy Taxi, que criaram serviços dedicados à categoria: 99Top e Easy Plus, respectivamente. Já o Uber recusou-se a aderir à proposta por não se considerar uma empresa de táxi, mas permanece operando na capital paulista.

Publicidade
Publicidade

Inicialmente, a Prefeitura de São Paulo sorteou 5.000 alvarás para a nova categoria, sendo 1.250 para mulheres e 250 para aqueles adequados ao atendimento de portadores de necessidades especiais. Cada licença custa R$ 60 mil e tem validade de 35 anos. Já a frota é composta obrigatoriamente por carros Sedãs, SUVs e Station Wagons com cinco anos ou menos de fabricação. Ar condicionado, bancos de couro e freio ABS são itens obrigatórios para esses veículos. A tarifa do serviço pode custar até 25% a mais do que os táxis comuns, variando conforme o período.

Necessidade e comodidade

Para o diretor de marketing Brasil da Easy Taxi, Fernando Matias, a iniciativa da Prefeitura é benéfica para ampliar a oferta e qualidade do serviço já oferecido na cidade: “Entendemos que havia uma necessidade em São Paulo por novos alvarás para taxistas.

Publicidade

A última liberação de alvarás em São Paulo havia sido há seis anos e a oferta de taxistas estava muito aquém da demanda de passageiros. Com isso, os 5.000 novos alvarás ajudam a melhorar o serviço prestado na capital, mas ainda há espaço para aumentar o número de taxistas na cidade”.

Quanto à forma de solicitar o serviço, totalmente mediada pelos aplicativos, o executivo considera ser um avanço que promove facilidade aos passageiros: “Os passageiros estão buscando cada vez mais conveniência ao solicitar suas corridas pelo aplicativo e, também, na hora de pagar. A ferramenta de pagamento mobile nesse sentido é um grande benefício para os usuários de táxi, gerando mais praticidade, agilidade e segurança. Por essas mudanças, acreditamos que o Táxi Preto é um serviço que está convergindo com este novo cenário. Todas as solicitações são obrigatoriamente realizadas pelos aplicativos e todos os táxis precisam aceitar método de pagamento mobile”.

Receptividade

Os primeiros Táxis Pretos estão rodando há cerca de um mês.

Publicidade

Mas, apesar do pouco tempo, Matias já vê uma boa receptividade entre taxistas e usuários: “Para os dois lados há uma percepção geral de que o Táxi Preto irá ajudar a melhorar o nível do serviço prestado em São Paulo e isso tem se refletido nos comentários em redes sociais, nossos canais de atendimento e, principalmente, em nossa ferramenta de avaliação de corrida”, afirma.

Questionado sobre a possibilidade de a Easy Taxi expandir o serviço para outras cidades, Fernando Matias julgou ser pouco provável, levando-se em conta tratar-se de uma iniciativa exclusiva da capital paulista: “O Táxi Preto é um serviço criado pela Prefeitura de São Paulo. Não temos indicativos de que outras prefeituras irão criar serviços semelhantes”, afirmou. Já a 99Taxis anunciou a expansão do seu 99Top para o Rio de Janeiro, cidade que possui uma frota de aproximadamente 900 táxis na categoria de luxo, e deve ter o início das atividades ainda este ano. #Negócios