A funcionária contratada pela Fundação do ABC, Elaine Gomes, de 26 anos, foi demitida, no último dia 18 de março, por ordem direta da secretária da saúde de São Bernardo do Campo, Odete Gialdi, de acordo com notícia publicada no jornal Diário do #Grande ABC, desta quinta-feira (31). 

Elaine publicou uma foto na rede social Facebook, na companhia de outros colegas (todos também demitidos), durante o expediente, no local de trabalho, usando uma roupa preta como símbolo de protesto ao atual governo da presidente Dilma Rousseff. 

A conversa entre Odete e Elaine, no momento da demissão, foi gravada. O áudio (ouça abaixo) foi apresentado pela funcionária demitida durante sessão da Câmara Municipal realizada nesta semana, na qual a jovem pediu o uso do microfone da tribuna e discursou para os parlamentares dando detalhes do episódio ocorrido. 

Vereadores encaminharam o caso para a comissão de saúde do Legislativo.

Publicidade
Publicidade

A Fundação do ABC emitiu uma nota oficial, na qual alega que respeita o direito de expressão, mas que o servidor público deve manter uma postura adequada e de neutralidade no ambiente de trabalho. A prefeitura não se pronunciou até o momento.

Corredor

As obras do corredor que ligará o centro de São Bernardo do Campo ao Bairro Assunção tiveram início nesta semana, após cinco anos do anúncio da mesma. 

Funcionários iniciaram o bloqueio de parte das ruas Joaquim Nabuco e Frei Gaspar. A previsão é de que os quase três quilômetros de vias estejam concluídos até o mês de julho. 

A obra faz parte do projeto de mobilidade orçado em mais de R$ 900 milhões investidos pela administração municipal com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento. 

Mutirão

Especialistas ouvidos pelo jornal Diário do Grande ABC afirmaram, nesta quinta (31), que funcionários e proprietários do instituto responsável pelo mutirão de catarata que deixou 18 pacientes cegos podem ser acusados por lesão corporal culposa.

Publicidade

A Justiça também pode determinar o pagamento de indenização com cada vítima recebendo entre R$ 50 mil e R$ 100 mil.