As cidades da região metropolitana de São Paulo  foram violentamente atingidas pelo impacto da chuva desta madrugada.

Segundo o capitão do corpo de bombeiros de São Paulo, Marcos Palumbo, o corpo de bombeiros trabalhou a madrugada inteira em dois lugares. Em Francisco Morato  9 vítimas fatais foram confirmadas e as equipes do corpo de bombeiro ainda estão no local fazendo buscas por outras pessoas, que estão desaparecidas. Essa busca é maior na cidade de Mairiporã, onde  3 mortes foram confirmadas  e  8 pessoas ainda  estão desaparecidas. A atual situação do local é muito perigosa, por causa da instabilidade do terreno, o que dificulta o trabalho, pois novos deslizamentos podem ocorrer. 

Bombeiros de outras regiões  de São Paulo e arredores foram chamados para  ajudar nessa operação, pois Francisco Morato  não tem um posto presencial da corporação.

Publicidade
Publicidade

No Jardim Ângela, outra região atingida, também há pessoas desaparecidas. Nesse local,  4 pessoas já foram resgatadas e uma criança está recebendo socorro, neste exato momento. 

As características de todos esses lugares atingidos - Francisco Morato, Mairiporã e Jardim Ângela -  são as mesmas, uma vez que são ocupações ilegais que ficam localizadas nos morros.

A quantidade de chuva que caiu era 80% do esperado para todo o mês de março. Quando essa água penetrou no solo, aconteceram alguns efeitos de desestabilização desse solo. Isso vem acontecendo de forma corriqueira nessas áreas. 

A quantidade de vítimas até o momento são 9 em Francisco Morato,  3 mortos e 8 desaparecidos  em  Mairiporã, e 5 resgatados com vida no Jardim Ângela.

"Nós estamos, atualmente, com cerca de 9 a 10 viaturas do corpo bombeiros designados para cada local.

Publicidade

E ainda existe chance de encontrar pessoas desaparecidas com vida", falou Marcos.

O número de mortos pode aumentar a qualquer momento.  É uma situação trágica e dramática para São Paulo. Há muito tempo a cidade não sofria com deslizamentos de terra. A orientação dos bombeiros é que os cidadãos não se arrisquem em meios às águas e aos destroços e fiquem em lugares seguros à espera de auxílio. #Chuvas Torrenciais