Quem passa pela Rua Anhaia, no Bom Retiro, região central da capital paulista, se depara, por entre prédios comerciais e residenciais, com um achado histórico. Trata-se do templo da Congregação Cristã no Brasil, o primeiro em alvenaria da denominação religiosa, tombado pelo Patrimônio Histórico.

Hoje tímido entre templos cada vez mais suntuosos, o prédio estava fechado para reforma há 34 meses e os fiéis tiveram seu ponto de realização de cultos transferidos para outras dependências da mesma #Igreja em outro bairro de São Paulo.

A reinauguração, chamada pelos adeptos como "reabertura", foi presidida pelo Sr. Gerbes Oliva, ancião da sede da denominação, no Brás.

Publicidade
Publicidade

A solenidade contou com cânticos congregacionais acompanhados de uma orquestra, orações e a exortação de um trecho do Evangelho de João. Na ocasião, foi apresentado um novo membro a exercer a função de Cooperador do Ofício Ministerial, que equivale a um ajudante do ancião local. Um fiel que exerce um cargo da Gestão da igreja fez a leitura de um balanço com informações exatas sobre os gastos empreendidos na restauração.

A localidade é um ponto de culto tradicional da igreja. De acordo com uma frequentadora que se manifestou nas redes sociais, o templo do Bom Retiro foi e ainda é o mesmo de diversas pessoas importantes para a história da denominação. Todas as segundas, quintas, sábados e domingos são realizados cultos e reuniões no local.

"Christã" ou "Cristã"?

Nas redes sociais, a divulgação de fotos da fachada da igreja gerou confusão nos membros.

Publicidade

Isso porque a grafia da palavra "Cristã" estava "Christã". A administração da maior fanpage referente à Congregação, embora independente e sem vínculos institucionais, CCB Mensagens, esclareceu que o templo se tratava do mais antigo da denominação, e, por ser patrimônio histórico, deveria manter a grafia original da época de registro do imóvel e das características mais próximas o possível da construção original.

Longe dos holofotes 

Considerando que estamos na era da informação e o crescente volume de dados compartilhados nos mais diversos meios de comunicação, a Congregação Cristã no Brasil parece, ou tenta parecer, imune a todos eles. A administração da igreja só se manifesta através de "circulares", que são cartas enviadas às igrejas de sua jurisdição para declarar a respeito de algum determinado assunto. Mesmo assim, sem nenhum meio de comunicação oficial ou propaganda, a não ser o boca-a-boca, possui mais de 2,2 milhões de fiéis em todo o Brasil, de acordo com as informações obtidas no Censo de 2010 realizado pelo IBGE. Sem jornais, revistas, páginas em redes sociais, portais para membros na internet, a igreja tem sobrevivido no mundo globalizado de forma instigante. No website oficial da igreja, que se resume a uma nota de esclarecimento, ela declara que quem tiver interesse em conhecê-la deve frequentar seus cultos e que não mantém nenhum meio de divulgação pública de seus princípios. #Religião