Câmeras de vigilância de um shopping mostram o provável  sequestrador, seguindo a comerciante momentos antes de ser sequestrada. Daniela Sales Santana de 31 anos, era proprietária de uma loja de produtos eletrônicos. O shopping onde ela trabalhava fica localizado na região da Avenida Paulista. Novas imagens provam que o suspeito de matar a empresária, a segue pelo corredor do estabelecimento. Um casal que pode ter participação no #Crime é visto conversando com o suspeito.

Daniela foi vista entrando em um estacionamento com o suspeito no dia 19, dia que a vítima desapareceu. Câmeras de segurança registraram o momento. Os dois foram vistos atravessando a rua e, de acordo com as imagens, eles conversavam.

Publicidade
Publicidade

 Ao entrarem no estacionamento, enquanto Daniela aguardava o manobrista trazer seu carro, o suspeito foi sozinho até o caixa. A vítima então assume a direção do carro e o suspeito entra no banco do passageiro.

O irmão da empresária relatou à polícia ter recebido um telefonema da irmã. Daniela teria dito que estava acompanhada de uma pessoa que ele não conhecia e estaria indo a um caixa eletrônico, realizar um saque em dinheiro, que seria dado a essa pessoa que a acompanhava. Como não havia dinheiro na conta dela, os parentes acreditam que esta teria sido a razão do sequestro ter tido um fim trágico.

Segundo parentes do namorado de Daniela, que cumpre pena no presídio de Potim, ela disse a eles que tinha recebido um telefonema que a deixou assustada. Do outro lado da linha a pessoa exigia dinheiro, cerca de 90 mil.

Publicidade

Caso contrário, seu namorado sofreria retaliação no presídio.

De acordo com investigações da polícia, o homem que aparece com Daniela, é um ex-presidiário de Potim. Ele foi identificado como Carlos Donizete Júnior. Até o momento, ninguém foi preso.

Crime

Daniela Sales Santana foi encontrada no domingo (17), um dia após seu desaparecimento. O corpo estava no rio Paraíba em Pindamonhangaba (SP) . Romeiros que seguiam para Aparecida  viram um corpo preso a galhos de uma árvore. A polícia foi chamada e, após entrar em contato com familiares, o corpo foi reconhecido. O corpo da vítima apontava sinais de violência e ela estava nua. #Violência #Casos de polícia