Mais uma empresa está encerrando suas atividades e deixando vários trabalhadores desempregados. Desta vez foi a Arno, uma das marcas de maior sucesso no país, a dar a triste notícia através do Groupe SEB, que detém a marca.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira, dia 11, e confirma o fechamento da fábrica na cidade de São Paulo, no bairro da Mooca, onde eram produzidos ventiladores, liquidificadores, aspiradores de pó e muitos outros produtos.

Todos os funcionários já foram avisados que serão demitidos, entretanto, o grupo não confirmou até o momento o número exato de pessoas que irão perder o emprego.

A alegação do Groupe SEB é que estava impossível manter a indústria no local por ser na região central da capital paulista, pois isto para a logística da empresa vinha trazendo vários transtornos.

Publicidade
Publicidade

A intenção do grupo é transferir toda a produção para uma nova fábrica, que se encontra localizada em local estratégico, em Itatiaia, ao sul do Rio de Janeiro, mas a previsão é que isto comece a acontecer somente no mês de novembro e poderá durar cerca de um ano. Não se sabe, porém, se serão contratados novos funcionários, mas neste caso o benefício seria para os trabalhadores do Rio de Janeiro.

Os paulistas até o momento só têm uma certeza, que é a do #Desemprego, e com isso cresce um pouco mais o número de trabalhadores brasileiros que estão buscando uma nova oportunidade no mercado que tem contratado cada vez menos por causa da crise.

A empresa lamentou profundamente o fechamento da fábrica localizada na Mooca, pois já fazia parte da história da Arno, já que há mais de 7 décadas produzia os eletrodomésticos que eram comercializados por todo o território nacional.

Publicidade

Agora a empresa espera conseguir melhores resultados em Itatiaia e enfrentar a crise que tanto tem dificultado para os que pretendem investir no país.

O grupo possui outras fábricas no ABC paulista, em São Bernardo do Campo, e uma outra em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, e pelo menos por enquanto elas continuarão operando normalmente, mas o risco de demissões hoje é uma realidade que convive com todos os trabalhadores brasileiros, inclusive aqueles de grandes empresas, como a Arno. #Crise no Brasil