O empresário Ronan Maria, proprietário do jornal Diário do Grande ABC, e o ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira, foram presos na manhã desta sexta-feira (1º) durante força-tarefa realizada pela Polícia Federal. A PF também conduziu de forma coercitiva para depoimento o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, e o jornalista Breno Altman. 

De acordo com notícia publicada pelo jornal Repórter Diário, foram cumpridas cerca de 12 ordens judiciais com a participação de dezenas de policiais em ações deflagradas nos municípios de Santo André, Osasco e Carapicuíba, todos localizados na região metropolitana de São Paulo

Ronan Maria teria recebido R$ 6 milhões em um esquema de fraude por meio de um empréstimo feito por José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, junto ao Banco Schahin a pedido do PT.

Publicidade
Publicidade

Conforme o texto da reportagem, o publicitário Marcos Valério afirmou em depoimento registrado no ano de 2012 que Bumlai teria repassado uma alta quantia de dinheiro para um empresário de Santo André para evitar que os nomes envolvidos na morte de Celso Daniel, prefeito daquela cidade, fossem divulgados. 

A Procuradoria da República afirma que existem provas suficientes de que houve um esquema envolvendo vários intermediários para ocultar a proveniência do dinheiro e a identidade daqueles que receberiam os repasses no final. 

Outras pessoas envolvidas com empréstimos fraudulentos do Banco Schahin estão sendo investigadas. De acordo com a Polícia Federal, também estão sendo analisadas as participações de empresas com contratos com a Petrobras e já condenadas na Operação #Lava Jato

Todos os presos serão encaminhados para Curitiba.

Publicidade

A operação recebeu o nome de Carbono 14 em alusão a um procedimento utilizado pela Química que visa identificar a data de objetos e auxiliar na investigação de itens antigos. 

A Procuradoria confirmou ainda que todos os pagamentos foram realizados, pelo menos, até 2012, e que os nomes envolvidos já participaram de outros crimes de corrupção.  #Crise #Grande ABC