Quatro estudantes de medicina veterinária são suspeitos de terem atirado bolinhas de gude contra concessionárias de veículos e pedestre em Goiânia. Os três homens e uma mulher cursam a graduação em uma faculdade de Anápolis- GO, de acordo com informações da Polícia Civil. Os tiros aconteceram em 11 de abril, mas os suspeitos contaram que praticam os atos há um ano. Diversas pessoas ficaram feridas.

A prisão de Adriano Araújo Dias e Ygo Murilo Maria Silva foi realizada por integrantes do Grupo Antissequestro da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC). Antônio Carlos Vieira Filho, que estava junto com os demais, foi liberado após ser interrogado, de acordo com informações do site “Diário de Goiás”.

Publicidade
Publicidade

Já a moça, que ainda não foi ouvida, não teve o nome divulgado e prestará esclarecimentos para a polícia na próxima segunda-feira (16).

Os estudantes de medicina veterinária usavam um Ford Focus branco, pertencente ao pai de Adriano. Os suspeitos saíam com estilingue e bolas de gude pelas ruas da cidade e as atiravam em qualquer pessoa. Há pelo menos oito feridos, vítimas do ato dos estudantes.

Uma delas é um idoso que foi atingido no rosto e teve três dentes quebrados. Este caso fez com que os estudantes fossem indiciados por tentativa de homicídio. Além deste senhor, pessoas que aguardavam o ônibus para seguirem para o trabalho foram atingidas. Uma delas foi alvo dos suspeitos por duas vezes.

As vítimas não sabiam contar o motivo de terem sido atingidas pelos estudantes e eles também não souberam explicar a razão para ferirem pessoas nas ruas da cidade.

Publicidade

Eles puderam ser pegos graças às imagens de câmeras de seguranças. Elas foram conseguidas após os atos de vandalismos praticados contra concessionárias. Como o carro usado era sempre o mesmo, a polícia acabou conseguindo identificar os suspeitos. Para isso, contou com a ajuda do Detran que deu informações sobre o veículo, essenciais para a investigação.

Os atos foram classificados pelo titular da DEIC, Thiago Damasceno, como “molecagem criminosa”. Além de tentativa de homicídio, as ações também são configuradas como criminosas e causadoras de danos.

O veículo e o automóvel usado nos crimes foram apreendidos. Pelo menos 20 pessoas foram vítimas dos quatro estudantes. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia