A histórica vila de Paranapiacaba, em Santo André, cidade localizada na região metropolitana de São Paulo, é um dos destinos mais procurados pelos turistas que buscam os trens expressos oferecidos pela CPTM. 

A empresa também disponibiliza passeios em linhas que ligam a Estação da Luz aos municípios de Jundiaí e Mogi das Cruzes, com toda a viagem realizada em vagões históricos, fabricados nos anos 60. 

Como a procura é alta, principalmente nas férias, quem desejar comprar os bilhetes deve fazê-lo com antecedência de até dois meses. A respeito de Paranapiacaba, a CPTM abriu vagas para as datas de 24 e 31 de julho (ambas caem em um domingo), coincidindo com o período de realização do Festival de Inverno.

Publicidade
Publicidade

O passeio de trem até a vila tem duração aproximada de 90 minutos para uma distância percorrida de quase 50 quilômetros em meio ao verde da mata atlântica. O embarque pode ser realizado na Luz, às 8h30, ou na estação Celso Daniel, no centro de Santo André, às 9h em ponto. 

Os ingressos não são vendidos via internet. Interessados devem comparecer pessoalmente às estações acima para adquirir os mesmos, durante o horário comercial.

Para quem pretende embarcar em São Paulo, o valor do ingresso é R$ 45,00. A saída a partir de Santo André tem o valor fixado em R$ 36,00.

Festival

O Festival de Inverno de Paranapiacaba entra neste ano em sua 16ª edição com apresentação de cantores e bandas de diferentes estilos, e a presença de barracas com comidas e bebidas para todos os gostos, com destaque para o chocolate quente cremoso, ideal para o inverno rigoroso que atinge o local em julho.

Publicidade

A Prefeitura de Santo André deve divulgar o calendário oficial do festival nas próximas semanas. 

História

A Vila Ferroviária de Paranapiacaba surgiu por meio da ocupação inglesa da Serra do Mar e a construção da ferrovia que ligaria Santos ao município de Jundiaí no século 19. 

A ONG World Monuments Fund elegeu Paranapiacaba como um dos 100 locais históricos mais importantes do mundo. 

A arquitetura da vila foi tombada pelo patrimônio estadual em 1987. Já em 2002, foi a vez do reconhecimento em esfera nacional.  #Turismo #Grande ABC