O prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, assinou um decreto nesta terça-feira (10) que autoriza o serviço de transporte através de aplicativos na cidade - o caso do #UBER. A publicação sairá nesta quarta-feira (11).

A partir de então as pessoas que fazem os seus famosos “bicos” aos finais de semana ou depois do expediente do regime de trabalho CLT ficam regulamentados. O serviço já é realizado na cidade do Rio de Janeiro e em São Paulo ainda não tinha sanção da prefeitura.

Na capital paulista não se pode fazer nada, pois uma liminar judicial proibiu que houvesse o impedimento do funcionamento do aplicativo Uber.

Publicidade
Publicidade

Muitas, se não todos, usam o dinheiro ganho como um complemento de renda, como  é o caso do Cearense, que não quis se identificar por  medo de retaliação dos taxistas. O motorista foi entrevistado no Rio de Janeiro para falar sobre os benefícios que chegam até SP. “De dia eu trabalho de carteira assinada e depois do expediente eu me arrumo e fico pelas ruas esperando corridas”, disse.

O motorista diz que consegue levantar um bom dinheiro para conseguir pagar as contas e sobrar um pouco mais. “Fico na região da zona Sul do Rio e sempre consigo fazer várias corridas pequenas que somando valem mais que uma grande”.

O trabalhador “roda” até às 3h da manhã e depois volta para casa pois na manhã ainda tem que ir bater o ponto eletrônico na empresa onde é montador.

 EM São Paulo as empresas pagarão a concessão por quilometro percorrido.

Publicidade

A prefeitura informou que o valor cobrado será de R$0,10.

Para o prefeito de São Paulo a medida conseguirá beneficiar também os motoristas de taxi, pois o aplicativo funciona sem regulação, apenas por decisão judicial. A ideia de Haddad é oferecer o serviço sem que haja a queda da renda dos taxistas que já circulam pela cidade.

"Nós vamos controlar a quantidade e o preço de maneira tal que os trabalhadores tenham deus direitos assegurados, os taxistas, e que as empresas possam operar diversificando serviços para atrair novos públicos", disse Haddad.

Não sabemos em SP, mas no RJ os serviços prestados pela empresa Uber são sempre motivos de protestos entre os taxistas da cidade maravilhosa. #Negócios