Por reajuste de R$ 19,00 para R$ 25,00 no tíquete refeição, PNR (participação nos resultados) de R$ 2 mil, convênio odontológico gratuito, auxílio funerário, seguro de vida e aumento salarial de 5%, motoristas e cobradores de ônibus pretendem repetir paralisação que realizaram nesta quarta-feira (18).

Segundo Valdevan Noventa, presidente do Sindmotoristas, entidade que defende os interesses dos trabalhadores do transporte rodoviário urbano, uma assembléia será realizada nesta sexta-feira (20), para definir se a categoria entrará em greve na próxima segunda-feira (23) .

Na manhã desta quarta-feira, mais de 1,5 milhão de usuários do transporte público foram prejudicados por paralisação parcial na circulação dos coletivos.

Publicidade
Publicidade

Os motoristas e cobradores cruzaram os braços por duas horas e não trabalharam das 10h às 12h, bloqueando terminais e estacionando os veículos nas vias públicas em que normalmente circulam em seus itinerários.

A proposta dos empresários do setor é de atender a reivindicação no aumento do valor do tíquete refeição, mas oferecem menos da metade exigida pela classe quanto ao reajuste salarial, 2,31% - muito abaixo da inflação, que ficou em 10,67% em 2015.

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo divulgou nota, repudiando a #Manifestação dos trabalhadores do setor, afirmando que a proposta feita pelas empresas para a reposição de 2,32% foi viável diante dos prejuízos amargados, reflexos da crise econômica como redução do número de passageiros, por exemplo.

Publicidade

O sindicato também disse que a dificuldade em atender ao pedido dos motoristas e cobradores está no impasse entre prefeitura e empresas para o reajuste da taxa-remuneração.

Marcada para acontecer entre 14h e 16h desta quinta-feira (19), a paralisação deve atingir os 29 terminais de ônibus da capital paulista e os coletivos que estiverem em trajeto deverão estacionar nos corredores e faixas exclusivas.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que não haverá a suspensão do rodízio para veículos com placas final 7 e 8.