A Agência de Transporte de São Paulo anunciou nesta quarta-feira que as tarifas de pedágio sofrerão um reajuste de 9,32% válido para todas as estradas paulistas a partir da meia-noite da próxima sexta-feira (01/07). Tomando como exemplo o valor cobrado para quem vai até o Litoral, o preço subirá dos atuais R$ 23,00 para R$ 25,20. 

Segundo notícia publicada pelo jornal ABCD Maior, em sua página na internet, a agência explicou que a alteração foi baseada no acumulado do IPC-A, fator que mede a inflação. Os últimos 12 meses foram utilizados na conta que está de acordo com as regras estipuladas nos contratos estabelecidos com as concessionárias das rodovias. 

A Ecovias, responsável pelas rodovias que "descem" a Serra do mar, passará a cobrar o novo valor nos pedágios da Anchieta, localizado no Riacho Grande, e também na Imigrantes.

Publicidade
Publicidade

Para quem acessa a cidade de Diadema, nos quilômetros 15 e 20, os valores também mudarão, ficando R$ 1,80 e R$ 3,40. No caso do acesso ao bairro Batistini, em São Bernardo do Campo, a tarifa será reajustada para R$ 5,80. 

Os pedágios do Rodoanel Mário Covas também terão seus valores alterados. No trecho sul, a tarifa será de R$ 3,20. No trecho leste, mudará para R$ 2,40. 

As rodovias que ligam a região metropolitana de São Paulo ao interior como Bandeirantes, Castelo Branco, Washington Luis e Anhanguera também terão os preços modificados. 

O aumento também deve causar impacto em serviços como o "Sem Parar", que permitem a passagem pelas praças de pedágio com cobrança posterior. 

Tamoios

Uma novidade é a cobrança de pedágio na Rodovia dos Tamoios de acordo com que foi estabelecido após a concessão.

Publicidade

A tarifa deve variar entre R$ 3,50 e R$ 6,20 nas praças instaladas nos quilômetros 15 e 56. 

O contrato prevê a construção de novos 21 quilômetros, além da duplicação de pistas, com obras que podem alcançar R$ 2 bilhões em investimentos. 

Reação 

Motoristas recorreram à internet para reclamar do aumento na tarifa de pedágio. A reação aos novos valores pode ser vista até na página do governador Geraldo Alckmin, com diversos comentários negativos.  #Turismo #Grande ABC