O Reino Unido deixou a #União Europeia ontem, 24 de junho, e com isso movimentos separatistas do Brasil ganharam força e inspiração para lutar por seus objetivos.

A ONG São Paulo Livre evidenciou uma campanha que já existe há algumas décadas no estado de São Paulo. Entretanto, a ideia agora não é apenas pedir ou fazer eventuais publicações sobre essa possibilidade. O grupo já começou a recrutar mesários e organizar lugares em diversas regiões do estado para que daqui a quatro meses ocorra um plebiscito sobre a separação.

O movimento evidencia em sua página e demais meios de #Comunicação as razões pelas quais a separação é importante.

Publicidade
Publicidade

Como boa parte dos paulistas e paulistanos são adeptos da política conservadora de direita, a aceitação da proposta com base nas justificativas apresentadas tem sido bem aceita nesse significativo grupo do estado.

Dentre os motivos, estão:

  • São Paulo paga, diariamente, R$1,3 bilhões aos cofres públicos da União. Tal dinheiro, de acordo com o movimento, é usado por um governo corrupto e repleto de desvios de verba;
  • O estado possui o maior PIB do Brasil e o segundo maior de toda a América Latina;
  • SP possui a maior população do Brasil, cerca de 44 milhões, e consegue ter mais pessoas do que alguns países vizinhos.
  • É o estado mais rico de todo o país e, de acordo com o movimento, os valores milionários repassados ao governo federal não são devolvidos ou investidos no âmbito estadual.

Segregação

Esse pensamento de separação vem desde a Era Vargas, mas se intensificou após as últimas eleições, quando a maior parte dos cidadãos rejeitaram os políticos do PT e culparam alguns estados por terem sacrificado o país mais uma vez com o governo petista.

Publicidade

Em 2014, o candidato a governador pelo PT, Padilha, ficou em terceiro lugar no resultado das votações e Geraldo Alkmin foi reeleito em primeiro turno. Além disso, o Partido dos Trabalhadores e a esquerda como um todo perderam muitas cadeiras no estado de São Paulo.

Logo após o segundo turno das eleições presidenciais, o movimento tornou-se ainda mais forte na internet. Seguindo a mesma linha separatista, o Rio Grande do Sul também se inspirou para continuar buscando sua independência, como faz já há alguns anos.

O movimento possui uma página no Facebook chamado 'São Paulo Livre' que já possui mais de onze mil seguidores. Lá eles divulgam diariamente diversas publicações sobre a proposta de independência de São Paulo. Apesar de parte da população aceitar, aqueles que possuem uma visão política diferente ou que vieram de outros estados ainda são relutantes com essa possibilidade. #Comportamento