O #Crime aconteceu na Rússia, em São Petersburgo, quando Samir Gabibov de 34 anos matou a sua bela esposa Gyulnara Gabibov de apenas 23 anos. Eles não se conheciam há muito tempo de acordo com as tradições Azeris e segundo o que ele disse a polícia russa, a morte teria sido acidental.

O motivo da morte foi uma discussão que o casal teve depois que a mulher teria esquecido de colocar o celular do esposo para carregar.  De acordo com Samir, ele empurrou sua esposa, depois disso ela bateu a cabeça e morreu.

O esposo colocou sua mulher morta em um saco plástico e com a ajuda do seu irmão, que não sabia o que havia ali, colocou o corpo em uma bicicleta e o levou para fora da cidade a umas seis milhas de distância.  Gyulnara foi enterrada pelo marido em uma floresta.

Publicidade
Publicidade

Depois de confessar o crime, Samir levou os policiais até o local onde deixou o corpo de sua esposa, de início foi difícil para ele se lembrar onde ele o tinha enterrado, mas depois de algumas buscas ele o achou. O corpo foi levado pelos investigadores e ainda ia passar por autópsia para se ter melhores esclarecimentos sobre o crime.

Segundo os criminalistas que viram o corpo da jovem, seria muito difícil fazer uma perícia mais especifica pois ele já estava ali enterrado há mais de um mês, mas que com algum tempo, deve-se encontrar pistas importantes sobre o caso.

A #Família de Gyulnara sem saber do crime estava muito preocupada com o seu desaparecimento uma vez que não tinham notícias da jovem por alguns meses. Em vídeo, sua mãe chegou a mandar uma mensagem: “Nós não estamos te culpando, por favor volte, nós não estamos entendo o que aconteceu”, dizia ela, aflita nas imagens.

Publicidade

Por não conhecer bem Samir, a família da jovem temia pelo que poderia ter acontecido, eles mal sabiam o que ele fazia, onde trabalhava e quem ele era realmente. Os mínimos detalhes que lembravam eram as roupas que ele usava da última vez, que era um casaco cinza e que ele era muito ciumento, chegou a proibir a sua noiva de utilizar redes sociais.

Segundo o rumo das investigações e a confissão do noivo assassino, a polícia agora prevê que Samir deve ser condenado por no mínimo 15 anos de prisão. #Casos de polícia