A Central de Trabalho e Renda de São Bernardo do Campo, município localizado na região metropolitana de São Paulo, está com as portas fechadas há mais de 10 dias por falta de verbas. Parte do dinheiro que sustenta as atividades da CTR vem do governo federal que não tem feito os repasses. Segundo o jornal Diário do #Grande ABC, em notícia publicada neste domingo (26), a Prefeitura também atrasou o pagamento dos últimos salários. 

Uma aviso na porta de entrada diz que o local está "sem sistema", mas funcionários explicaram que estão de braços cruzados, aguardando uma posição da administração municipal para esta segunda-feira (27). 

"Não é necessariamente uma greve, mas é difícil trabalhar sem salário", desabafou um dos colaboradores que preferiu não se identificar.

Publicidade
Publicidade

A Prefeitura confirmou a situação em nota encaminhada ao Diário, explicando que o Ministério do Trabalho não encaminhou a verba que é utilizada para pagamento dos funcionários, todos terceirizados, mas que a situação será regularizada em breve. 

O Ministério do Trabalho se defende alegando que o convênio que estabelece a transferência de dinheiro exige a prestação de contas por parte das cidades beneficiadas e que, no caso de São Bernardo, foram exigidos novos documentos que ainda estão sob análise da equipe de fiscalização. 

Desemprego

Há vários meses, internautas reclamam das poucas vagas divulgadas pela Central de Trabalho e Renda de São Bernardo, em geral oportunidades de baixo salário. 

Apenas no último ano, mais de 17 mil são-bernardenses ficaram desempregados (cerca de 800 só em maio), muitos com formação técnica, mas com dificuldades para conquistar uma nova colocação nas indústrias da cidade, visto que as mesmas também atravessam um momento de crise com a queda na produção e nas vendas. 

No início do ano, a vizinha Diadema também encerrou as atividades da CTR local, restando aos que buscam um novo emprego, procurá-los nas tradicionais agências de recolocação ou efetuar pesquisas em páginas especializadas na internet.  #Desemprego