O casal gay agredido no Centro de Tradições Nordestinas, após um show de Ivete Sangalo, teve uma surpresa na noite desta quarta-feira (15). Durante entrevista ao programa Super Pop, da Rede TV, a cantora #Ivete Sangalo ligou para a emissora e conversou com os rapazes no ar, ao vivo. Uma das vítimas não segurou a emoção e chorou copiosamente. Assista:

Caio Tomaz da Rocha, que ainda tem marcas da agressão pelo corpo, não conseguiu responder a ligação de Ivete, tamanha era sua emoção. Durante a ligação, Ivete disse ser uma pessoa otimista, mas que não entende como esse tipo de agressão pode acontecer. Se disse triste e incrédula com a energia da violência.

Publicidade
Publicidade

"É algo deplorável, fiquei muito triste e decepcionada. Fui informada pelo pessoal do Centro de Tradições Nordestinas (local em que aconteceu o ataque, logo depois de seu show)", disse.

A cantora ainda elogiou a coragem dos rapazes, de denunciar o caso. "Covarde é quem não reivindica, quem não fala", disse. Ivete ainda reservou outra surpresa para os rapazes: um convite para assistir ao seu próximo show em São Paulo, no palco.  “Vão curtir comigo e protegidos por mim, que vou estar na frente. Eu mesma vou proteger vocês”, garantiu. De acordo com Ivete, o Centro de Tradições Nordestinas trocou a sua equipe de segurança após o incidente.

Entenda o caso

Caio Tomaz da Rocha esteve no Centro de Tradições Nordestinas no sábado, 10 de junho, para assistir a um show que Ivete Sangalo fez no local.

Publicidade

Ao final do evento, Caio e seu namorado foram ao banheiro com amigos. Enquanto esperavam do lado de fora do banheiro pelos seus amigos que ainda estavam utilizando o serviço, o casal foi acusado por um desconhecido de ter roubado uma blusa. Neste momento um segurança do Centro atacou Caio, que foi enforcado pelo agente de segurança. "Aí ele pegava e falava que eu tinha que morrer mesmo, que gay e ladrão tinha que morrer. Me jogaram no chão e começaram a me chutar. Vinham muitos seguranças e me chutavam muito", disse a vítima ao portal G1.  #Homofobia