Um dos casos de assédio que tomou conta da mídia há pouco tempo está novamente sendo discutido, dessa vez, na rede Record de Televisão. Ontem (20), o Programa do Gugu apresentou com exclusividade alguns detalhes que envolveram o assédio feito pelo cantor MC Biel a uma repórter de 21 anos, chamada Giulia Pereira. A polêmica, que rendeu muitas perdas de contratos para o jovem cantor, ainda dá consequências negativas para o músico, que, inclusive perdeu a oportunidade de carregar o maior símbolo dos Jogos Olímpicos 2016, motivado por conta desse escândalo nacional.

Na entrevista ao Gugu, a jovem faz desabafos que colocam em xeque, mais uma vez, o nome de MC Biel para o público, segundo ela: “Eu desci muito nervosa, eu estava muito nervosa.", conta a repórter enquanto dava entrevista ao programa da Record.

Publicidade
Publicidade

"Comecei a tremer, porque na hora você vai deixando passar e tenta ignorar um pouco disso para continuar o seu trabalho. (...)”, disse a jovem profissional, notadamente ainda abalada com o que aconteceu com ela naquele dia do assédio.

“(...) Mas quando você sai, é que cai a ficha. E você começa a perceber os absurdos.", continua revelando Giulia Pereira, bastante emocionada. "Eu peguei um taxi e fui pra casa de uma amiga. (...)”, disse. Ela afirma que, durante o percurso que fez no táxi, continuou a pensar no que aconteceu e quando chegou na casa de sua amiga, que é perto de onde aconteceu o episódio do assédio, Giulia já chegou aos prantos e pedindo a ajuda da amiga, que não sabia o que tinha acontecido com ela.

Ela também revela que, apesar de tudo, recebeu muitas críticas de algumas pessoas, mas, em seu pensamento, não fez nada de errado e também não permitiu que MC Biel pudesse fazer algo mais danoso para a sua integridade psicológica e física.

Publicidade

“De forma alguma. Eu ser simpática não dá abertura para ele nem ninguém de fazer os comentários que ele fez. (...)”, seguiu dizendo a jornalista. Ela também contou que o que o cantor fez não tem cabimento. Chamar uma repórter de gostosa e dar em cima dela com palavras íntimas incisivas ‘não existe em nenhum lugar’. #Curiosidades #Casos de polícia