Desde a manhã do último domingo, dia 17, a jovem Raquel Ester Almeida Mendes, de 18 anos, está desaparecida. De casamento marcado para 23 de outubro, a moça foi vista pela última vez no Terminal Diadema, na região do ABC Paulista, onde estava com seu noivo.

Pelas informações constantes no Boletim de Ocorrências de desaparecimento registrado pelos familiares, Raquel saiu de casa sem portar nenhum documento de identificação, portando apenas o cartão para o transporte coletivo e as chaves de casa, e tinha ido ao terminal de ônibus, na região central de Diadema/SP, com o noivo.

Segundo a mãe da jovem, dona Missilene Almeida Mendes, 37, além de não levar os documentos, Raquel também deixou em casa a bombinha para asma, a qual faz uso com frequência.

Publicidade
Publicidade

Segundo ela, ainda, a filha tinha ido ao terminal acompanhar o noivo que voltaria ao interior, onde mora, e, desde então, não foi mais vista.

A família se deu conta do desaparecimento de Raquel quando o noivo entrou em contato com a família perguntando se ela havia chegado bem em casa, mas, no entanto, ela ainda não havia chegado. Ao tentar fazer contato, dona Missilene estranhou o fato de que as mensagens enviadas à filha através do aplicativo para celular WhatsApp foram respondidas de maneira áspera e repetitiva, manifestando para que a deixasse em paz e que não voltaria para casa. A mãe, insistente, enviou mensagens com assuntos que somente a filha poderia conhecer e, no entanto, recebeu mensagens perguntando o que as palavras da mãe significavam. Ao pedir uma foto e um áudio, a filha não mais respondeu às mensagens.

Publicidade

Na segunda-feira, a mãe entrou em contato com Raquel via mensagem, que respondeu estar bem e que não precisavam se preocupar, conforme apurou a equipe do Portal R7. A partir de então, todas as ligações são encaminhadas diretamente à caixa postal da operadora e as mensagens não foram mais respondidas.

Para a família, a hipótese de fuga da jovem é descartada, visto que estava empolgada e contente com o casamento, marcado para daqui três meses. O fato de Raquel não ter levado consigo nenhum documento reforça a ideia de que a jovem não teria fugido, para a família.

Raquel já havia concluído o Ensino Médio no ano passado em uma escola estadual em Diadema e se preparava para realizar as provas do ENEM e vestibular. A jovem frequenta a Congregação Cristã no Brasil e participa de fóruns relacionados à igreja nas redes sociais.

O caso vem sendo investigado pela Polícia e qualquer informação relevante sobre o acontecimento sobre ser reportado diretamente ao 4º Distrito Policial de Diadema/SP, onde o caso foi registrado. #Igreja #Crime #Casos de polícia